Banido do Twitter, Trump tenta sem sucesso usar perfis do governo e de campanha

Gary Coby, diretor de campanha digital de Trump, tentou ainda "emprestar" sua conta para o chefe

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos Foto: REUTERS

Da Reuters

Ouvir notícia

O Twitter excluiu na sexta-feira (9) novos tuítes do presidente dos EUA, Donald Trump, dessa vez disparados da conta oficial do governo (@POTUS). A rede suspendeu ainda a conta de campanha presidencial (@TeamTrump) pelo mesmo motivo.

Horas depois de sua conta principal (@realDonaldTrump) ser banida, Trump tuitou “Não seremos SILENCIADOS!” da conta do governo, que possui 33,4 milhões de seguidores e é passada de presidente para presidente. 

Leia também:
Trump questiona assessores se é possível conceder perdão presidencial a si mesmo
Pessoas que invadiram o Capitólio estão sendo identificadas e perdendo empregos
Capitólio: FBI oferece recompensa de R$ 270 mil para achar quem plantou bombas

“O Twitter não é sobre LIBERDADE DE EXPRESSÃO”, prosseguiu Trump nos tuítes agora excluídos, acrescentando que está considerando construir sua própria plataforma de mídia social em um futuro próximo.

A conta de campanha do presidente foi outra a ser banida, logo depois dela enviar um tuíte com uma “declaração do presidente Trump” acusando o Twitter de “banir a liberdade de expressão” e coordenar com “os democratas e a esquerda radical” para silenciá-lo.

Gary Coby, diretor de campanha digital de Trump, tentou “emprestar” sua conta (@garycoby) para o chefe, mudando o nome do perfil para “Donald J. Trump” e colocando uma foto do chefe do executivo. Também foi suspensa.

Procurado, o Twitter disse que as contas usadas por Trump para tentar contornar a proibição podem enfrentar suspensão permanente sob suas políticas.

 

Mais Recentes da CNN