Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Biden descreve acordo com Israel para pausas humanitárias em Gaza

    Em uma série de postagens na rede social X, o presidente dos EUA disse que o acordo permite a entrada do fluxo de ajuda humanitária em Gaza e a passagem segura para civis que procuram fugir do conflito

    Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden
    Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden 18/10/2023REUTERS/Evelyn Hockstein

    Donald Juddda CNN

    Em uma série de postagens na rede social X, antigo Twitter, nesta quinta-feira (9), o presidente Joe Biden descreveu o acordo de pausas humanitárias diárias com Israel.

    O acordo permite a entrada do fluxo de ajuda humanitária em Gaza e a passagem segura para civis que procuram fugir do conflito entre Israel e o Hamas.

    O presidente dos EUA escreveu que seu governo está “fazendo tudo o que está ao seu alcance para aumentar o fornecimento de ajuda e a assistência humanitária”, citando os caminhões de ajuda já entregues com sucesso à região devastada pela guerra.

    O coordenador de Comunicações Estratégicas do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, disse que os israelenses “estão totalmente comprometidos” com as pausas e notificarão os civis que vivem no norte de Gaza onde procurar passagem segura usando os corredores humanitários.

    “Isso poderia ajudar a reduzir o número de vítimas civis, dando às pessoas a confiança e o tempo para se afastarem do perigo e não se encontrarem no fogo cruzado entre o Hamas e as Forças de Defesa de Israel”, disse Kirby.

    Leia uma transcrição dos tweets de Biden:

    “A partir de hoje, haverá duas passagens humanitárias que permitirão às pessoas fugir de áreas hostis em Gaza. E elas já permitiram que milhares de pessoas alcançassem a segurança. 

    Também estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para aumentar o fornecimento de ajuda e assistência humanitária. Havia 96 caminhões de suprimentos dois dias atrás e 106 caminhões ontem. Mas precisamos ver mais, e logo. Nosso objetivo é pelo menos 150 por dia, todos os dias.

    Deixe-me ser claro: Israel toma as suas próprias decisões. Estão combatendo um inimigo integrado na população civil, o que coloca em risco palestinos inocentes. Eles têm a obrigação de distinguir entre terroristas e civis e de cumprir integralmente o direito internacional.

    Estas pausas ajudarão a levar os civis para áreas mais seguras, longe dos combates ativos. São um passo na direção certa. Vocês têm a minha palavra: continuarei a defender a segurança civil e a me concentrar no aumento de ajuda para aliviar o sofrimento do povo de Gaza.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original