Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Biden deve anunciar medida que limita travessia de imigrantes pelo México

    Ação executiva restringiria entrada ilegal na fronteira sul dos EUA aos requerentes de asilo uma vez que os encontros diários entre os portos atingissem marca de 2.500

    Priscilla AlvarezMJ LeeArlette Saenzda CNN

    O presidente dos Estados Unidos Joe Biden deve anunciar uma ordem executiva na terça-feira (3) que fecharia efetivamente a fronteira entre os EUA e o México aos requerentes de asilo que atravessam ilegalmente quando um limite diário de travessias for excedido. A proposta provavelmente receberá resistência de progressistas e defensores da imigração.

    A ação executiva, descrita à CNN por várias pessoas informadas sobre a ordem, marcaria uma tentativa significativa de Biden de abordar de frente uma de suas maiores vulnerabilidades políticas, poucas semanas antes do primeiro debate presidencial com o ex-presidente Donald Trump. O candidato republicano fez das políticas de imigração de linha dura uma pedra angular da sua campanha.

    A ordem executiva utiliza uma autoridade conhecida como “212(f)” – um regulamento utilizado durante a administração Trump e amplamente denunciado pelos Democratas na época.

     

     

    A ação executiva, que está em andamento há meses, restringiria severamente os migrantes de buscarem asilo na fronteira sul dos EUA se cruzassem a fronteira ilegalmente depois que travessias diárias entre os portos de entrada atingissem 2.500.

    O termo “encontros” refere-se a dois tipos distintos de eventos: apreensões e expulsões.

    Ao atingir a marca a medida provavelmente terá efeito quase imediatamente. Os migrantes ainda poderiam solicitar uma marcação para apresentar o seu pedido de asilo em um porto de entrada.

    As crianças não acompanhadas estariam isentas – uma peça-chave da ordem executiva que preocuparia os defensores da imigração, que afirmaram que tal isenção poderia encorajar algumas famílias a enviar crianças para a fronteira por conta própria.

    A medida permitiria às autoridades recusar migrantes enquanto estivessem em vigor no México ou no seu país de origem. Os EUA trabalharam anteriormente com o México quando uma restrição da fronteira se deu devido à Covid-19, conhecida como Título 42, que também resultou no regresso de certos migrantes ao México.

    Fontes que descreveram a ordem à CNN alertaram que ainda podem ser feitas alterações no texto antes que ele seja divulgado publicamente esta semana.

    A ação marcaria uma mudança política significativa para a administração Biden, que adotou uma abordagem mais agressiva à segurança das fronteiras depois de anos de luta contra crises alimentadas por uma migração recorde, enquanto tentava atenuar os ataques republicanos durante um ano eleitoral disputado.

    As autoridades da fronteira detiveram recentemente pouco menos de 4 mil migrantes que atravessam ilegalmente a fronteira, de acordo com um funcionário da Segurança Interna. O país também registrou cerca de 1.500 marcações por dia através do aplicativo da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA.

    Segundo a ordem executiva, a fronteira seria reaberta assim que as travessias ilegais diárias diminuíssem, segundo uma das fontes.

    Altos funcionários da Casa Branca, incluindo o chefe de gabinete Jeff Zients, ligaram para legisladores e outras partes interessadas no fim de semana para informá-los sobre os planos, de acordo com duas fontes familiarizadas com as discussões.

    A CNN informou pela primeira vez que a Casa Branca começou a entrar em contato com os prefeitos da fronteira para que assistissem ao anúncio.

    O prefeito de Edimburgo, Ramiro Garza, no Texas, confirmou à CNN que o governo entrou em contato no sábado (1) para participar de um evento na terça-feira (3) na Casa Branca.

    O prefeito da  cidade do Texas, Brownsville, John Cowen, disse que também foi convidado e comparecerá.

    A prefeita de Harlingen, Norma Sepulveda, e o prefeito de Laredo, Dr. Victor D. Trevino, do mesmo estado americano, também confirmaram que deverão comparecer ao evento.

    Javier Villalobos, prefeito de McAllen, também disse que foi convidado, mas não poderá comparecer.

    Camila DeChalus da CNN contribuiu para este relatório.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original