Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Biden teve ligação de 49 minutos com Zelensky antes de anunciar sanções à Rússia

    Após telefonema, presidente americano impôs medida que afeta relação comercial com o governo de Putin

    Biden em ligação telefônica no Salão Oval da Casa Branca
    Biden em ligação telefônica no Salão Oval da Casa Branca Foto: Getty Images

    Kaitlan Collinsda CNN

    Antes de seu discurso nesta sexta-feira (11), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, passou 49 minutos ao telefone com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, detalhando as novas medidas que ele anunciaria em relação ao comércio dos EUA com a Rússia, disseram à CNN dois funcionários familiarizados com a ligação.

    Embora a maioria das ligações de Biden e Zelensky desde a invasão tenham durado entre 30 e 40 minutos, esta foi um pouco mais longa, pois Biden destacou como os EUA estavam se movendo para suspender as relações comerciais normais com a Rússia em esforço para punir o Kremlin.

    Zelensky publicou no Twitter que deu a Biden uma “avaliação da situação no campo de batalha, informado sobre os crimes da Rússia contra a população civil” e eles concordaram em “mais medidas para apoiar a defesa da Ucrânia e aumentar as sanções contra a Rússia”.

    Horas após o telefonema, nesta sexta-feira, o presidente Joe Biden anunciou que os EUA vão retirar o status de “nação mais favorecida” da Rússia, o que irá alterar significativamente as relações comerciais entre os países.

    “A designação de status de nação mais favorecida significa que dois países concordaram em negociar um com o outro sob os melhores termos possíveis — tarifas baixas, poucas barreiras ao comércio e maiores importações possíveis permitidas”, explicou Biden em pronunciamento na Casa Branca

    O presidente americano ainda esclareceu que a medida foi tomada em concordância com outros países do G7 e com a Otan, brindo caminho para a imposição de tarifas sobre uma ampla gama de produtos russos e aumentando a pressão sobre a economia do país após a invasão à Ucrânia.

    As diversas sanções dos EUA contra a Rússia já causaram impacto em Moscou. Na última quinta-feira (10), o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse a repórteres em teleconferência que a economia russa “está sofrendo um impacto de choque agora e há consequências negativas, elas serão minimizadas”.

    O governo russo acusa os EUA de declararem guerra econômica à Rússia, e afirmou que Moscou pensa seriamente sobre o que fazer depois que Joe Biden impôs uma proibição ao petróleo russo e outras importações de energia.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original