Boris Casoy: Guerra na Ucrânia mostra que ONU está falhando

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (18), Boris Casoy fala sobre a reunião do Conselho de Segurança da ONU feita na quinta (17) para tratar da guerra na Ucrânia

Lucas Schroederda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (18), o jornalista Boris Casoy fala sobre a reunião do Conselho de Segurança da ONU feita na quinta (17). No encontro, o embaixador da Ucrânia chamou Vladimir Putin de “assassino em série”, além de condenar os ataques russos a civis.

Entenda o conflito

Após meses de escalada militar e intemperança na fronteira com a Ucrânia, a Rússia atacou o país do Leste Europeu. No amanhecer de quinta-feira (24), as forças russas começaram a bombardear diversas regiões do país – acompanhe a repercussão ao vivo na CNN.

Horas mais cedo, o presidente russo, Vladimir Putin, autorizou uma “operação militar especial” na região de Donbas (ao leste da Ucrânia, onde estão as regiões separatistas de Luhansk e Donetsk, as quais ele reconheceu independência).

O que se viu a seguir, porém, foi um ataque a quase todo o território ucraniano, com explosões em várias cidades, incluindo a capital Kiev.

De acordo com autoridades ucranianas, dezenas de mortes foram confirmadas nos exércitos dos dois países.

Em seu pronunciamento antes do ataque, Putin justificou a ação ao afirmar que a Rússia não poderia “tolerar ameaças da Ucrânia”. Putin recomendou aos soldados ucranianos que “larguem suas armas e voltem para casa”. O líder russo afirmou ainda que não aceitará nenhum tipo de interferência estrangeira.

Esse ataque ao ex-vizinho soviético ameaça desestabilizar a Europa e envolver os Estados Unidos.

Biden e Xi Jinping conversam por telefone

Governo de São Paulo libera uso de máscaras em locais fechados

Putin discursa em evento na Rússia

Mais Recentes da CNN