Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Brasileiros vão aguardar abertura de fronteira abrigados em casas no sul da Faixa de Gaza, diz ministro

    Decisão é considerada a mais segura após milhares de pessoas amanhecerem aglomeradas na passagem de Rafah

    Basília Rodriguesda CNN

    em Brasília

    O ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Paulo Pimenta, afirmou nesta segunda-feira (16) que os brasileiros que aguardam autorização para deixar a Faixa de Gaza permanecem abrigados em casas na cidade de Khan Yunis e na região de Rafah.

    A avaliação é que, nestas condições, o grupo está mais seguro, menos tenso e menos ansioso do que se estivessem no meio da rua. Nesta segunda-feira (16), milhares de pessoas de outras nacionalidades amanheceram aglomeradas em frente aos portões da fronteira de Gaza com o Egito.

    Neste momento, o Brasil trabalha para retirar da área de conflito um grupo de 32 pessoas. São 22 brasileiros, sete palestinos com visto temporário ou de autorização de residência no Brasil e três palestinos parentes de brasileiros.

    Apesar das dificuldades, Paulo Pimenta ainda acredita que o grupo conseguirá atravessar a fronteira com o Egito ainda hoje. “Estamos aguardando ansiosos que ainda hoje Israel autorize a saída dos brasileiros”, disse o ministro à CNN.

    O governo brasileiro tem negociado em todas as frentes na tentativa de viabilizar um corredor humanitário.

    Ao longo do fim de semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entrou pessoalmente nas negociações. Ligou para a autoridade Palestina Mahmoud Abbas, para o presidente de Israel, Isaac Herzog, e também para o presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sissi.

    Um avião presidencial — enviado na quinta-feira (12) especificamente para resgatar os brasileiros em Gaza — segue em Roma, na Itália. Aguarda apenas autorização para seguir para o Egito.

    VÍDEO: Itamaraty aguarda Israel para repatriar brasileiros em Gaza