Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Calor bate novo recorde em Londres e temperatura passa dos 40ºC

    Coningsby, em Lincolnshire, chegou a registrar 40,3ºC; bombeiros relatam dificuldades para enfrentar ocorrências provocadas pelo calor

    Jorge Engelsda CNNElise Hammondda CNN*

    As temperaturas no Reino Unido ultrapassaram 40ºC pela primeira vez nesta terça-feira (19), tornando-se o dia mais quente do país já registrado.

    Antes de 2019, o Reino Unido só havia visto uma cidade ultrapassar 37,8ºC uma vez em agosto de 2003.

    Desde então, isso aconteceu quatro vezes em quatro anos. Então, o que antes era considerado impossível, ou talvez um evento de calor de um em 100 anos, agora está acontecendo quase anualmente.

    Stephen Belcher, cientista-chefe do Met Office do Reino Unido, e o professor Paul Davies, meteorologista-chefe do Met Office, disseram que há três coisas que estão tornando essas condições possíveis.

    O primeiro é o chamado “padrão de número de onda 5”, disseram Belcher, Davies e o Met Office em um post de blog na terça-feira (19).

    O padrão de número de onda 5 descreve “a diferença na temperatura da superfície de seus valores médios”.

    Cinco estações meteorológicas de Londres a Lincolnshire atingiram 40ºC ou mais, com Coningsby em Lincolnshire chegando a 40,3oC.

    Isso mostra que há um padrão semelhante a ondas ao redor do Hemisfério Norte com cinco regiões de alta pressão, explicaram, acrescentando que esses são os lugares propensos a experimentar ondas de calor.

    O padrão de número de onda 5 também explica por que é possível ter ondas de calor simultâneas em todo o mundo, disseram os cientistas do Met Office.

    O Met Office diz que a mudança climática, o segundo fator, também desempenha um papel. Belcher e Davies escreveram na postagem do blog que as temperaturas no Reino Unido são “sem precedentes na história registrada”.

    “Em um clima não afetado pela influência humana, a modelagem climática mostra que é praticamente impossível que as temperaturas no Reino Unido atinjam 40°C”, disse o Met Office no blog.

    Belcher e Davies disseram que a mudança climática é principalmente impulsionada pelo acúmulo de gases de efeito estufa na atmosfera. As condições mais quentes são resultado da combinação desses gases com os padrões de circulação atmosférica — como o padrão de número de onda 5, de acordo com o órgão

    O terceiro fator que está contribuindo para o calor extremo são as condições ambientais e do solo, disseram Belcher e Davies.

    Here are the highest temperatures across the country today 👇

    At least 34 sites have exceeded the UK’s previous national record of 38.7°C 🌡️#heatwave2022 #heatwave pic.twitter.com/QwwfzLWZpc

    — Met Office (@metoffice) July 19, 2022

    “Foi um ano seco em muitas partes da Inglaterra. Quando o sol brilha no solo, os solos secos não podem liberar energia através da evaporação da umidade, o que significa que mais energia do sol vai para aquecer o ar, amplificando ainda mais as temperaturas em o Reino Unido”, disse o blog, acrescentando que os cientistas climáticos chamam isso de feedback da umidade do solo.

    “Esses três elementos se juntaram no Reino Unido: o padrão global de número de onda 5 impulsionando altas temperaturas, na presença de um clima já aquecido devido às mudanças climáticas, aprimorado ainda mais pelo feedback da umidade do solo”, acrescentou o Met Office.

    As consequências

    O Reino Unido está lamentavelmente despreparado para os impactos da crise climática. Ele se esforça para gerenciar as inundações quando elas ocorrem. No calor, a nação cede.

    Tantos incêndios começaram em Londres na terça-feira que a brigada de incêndio da cidade declarou um “situação grave”  e foi sobrecarregada além de sua capacidade de atendimento.

    Pelo menos quatro pessoas se afogaram enquanto as pessoas se aglomeravam em praias, rios e lagos apenas para tentar se refrescar. Até mesmo uma pista em um aeroporto nos arredores de Londres teve que ser fechada. porque derreteu com o calor.

    Sobrecarga do Corpo de Bombeiros

    Os bombeiros de Londres enfrentaram um de seus dias mais difíceis nesta terça-feira, quando vários incêndios e temperaturas recordes levaram seus recursos ao limite, disse Jonathan Smith, comissário assistente do Corpo de Bombeiros de Londres, em uma entrevista à Sara Sinder, da CNN.

    “Este foi um dia nunca visto antes na história do Corpo de Bombeiros de Londres, onde fomos submetidos a extremos de calor e temperatura que causaram vários incidentes relacionados ao clima”, disse Smith.

    O oficial da brigada de incêndio disse que os bombeiros controlaram vários incidentes significativos e esperava que a capital britânica estivesse “passado pelo pior”.

    Smith descreveu como os incêndios esgotaram os recursos dos bombeiros em toda a cidade e disse que agora estão focados no planejamento para os próximos dois dias.

    Com informações de Brandon Miller, da CNN

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original