Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Casa Branca anuncia novas sanções aos oligarcas russos; saiba quem será impactado

    Nova lista de indivíduos descritos como "companheiros de Putin e seus familiares" será cortada do sistema financeiro dos EUA

    Vista da Catedral de São Basílio e do Kremlin, em Moscou, capital da Rússia
    Vista da Catedral de São Basílio e do Kremlin, em Moscou, capital da Rússia Valery SharifulinTASS via Getty Images

    Betsy Kleinda CNN

    A Casa Branca anunciou novas sanções aos oligarcas russos nesta quinta-feira (3), na mais recente tentativa do presidente dos EUA, Joe Biden, de reprimir o presidente russo, Vladimir Putin, à medida que a invasão da Ucrânia avança.

    A nova lista de indivíduos descritos como “companheiros de Putin e seus familiares” será cortada do sistema financeiro dos EUA, seus ativos serão congelados no país e suas propriedades serão bloqueadas para uso, de acordo com um boletim informativo do Casa Branca.

    Leia mais

    • Governo deve conceder visto humanitário e autorização para residência a ucranianos

      Governo deve conceder visto humanitário e autorização para residência a ucranianos

    • “Tenho medo de a Ucrânia não existir mais”, diz Zelensky, presidente ucraniano

      “Tenho medo de a Ucrânia não existir mais”, diz Zelensky, presidente ucraniano

    • Navios são atingidos por explosões em portos da Ucrânia; ao menos um morre

      Navios são atingidos por explosões em portos da Ucrânia; ao menos um morre

    Haverá sanções de bloqueio total a oito elites russas, além de seus familiares e associados.

    Isso inclui um movimento para atingir o aliado de Putin, Alisher Burhanovich Usmanov, “um dos indivíduos mais ricos da Rússia”, segundo a Casa Branca, e incluirá seu superiate e jato particular.

    Os EUA também estão sancionando o porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, que a Casa Branca descreve como “um grande fornecedor da propaganda de Putin”.

    “Os Estados Unidos e os governos de todo o mundo trabalharão para identificar e congelar os bens que as elites russas e seus familiares detêm em nossas respectivas jurisdições – seus iates, apartamentos de luxo, dinheiro e outros ganhos ilícitos”, diz o boletim informativo. disse.

    Os indivíduos que estarão sujeitos a sanções de bloqueio total são:

    • Nikolai Tokarev (junto com sua esposa Galina, filha Mayya e suas duas imobiliárias de luxo);
    • Boris Rotenberg (junto com sua esposa Karina e seus filhos Roman e Boris);
    • Arkady Rotenberg (junto com seus filhos Pavel e Igor e filha Liliya);
    • Sergei Chemezov (junto com sua esposa Yekaterina, seu filho Stanislav e enteada Anastasiya);
    • Igor Shuvalov (junto com suas cinco empresas, sua esposa Olga, seu filho Evgeny e sua empresa e jato, sua filha Maria e sua empresa);
    • Yevgeniy Prigozhin (junto com suas três empresas, sua esposa, Polina, sua filha Lyubov e seu filho Pavel);
    • Peskov, secretário de imprensa de Putin;
    • Alisher Usmanov (Seu super-iate, um dos maiores do mundo e que acabou de ser apreendido pela nossa aliada Alemanha, e seu jato particular, uma das maiores aeronaves privadas da Rússia).

    Os EUA também irão impor restrições de visto a 19 oligarcas e 47 de seus familiares e associados próximos, disse o boletim informativo da Casa Branca.

    Essa medida terá como alvo os oligarcas “conhecidos por dirigir, autorizar, financiar, apoiar significativamente ou realizar atividades malignas em apoio à política externa desestabilizadora da Rússia”.

    E o Departamento do Tesouro também emitirá sanções sobre alvos de desinformação. Isso inclui a Fundação de Cultura Estratégica SDN e veículos associados Odna Rodyna, Rhythm of Eurasia e Journal Kamerton; Frente Sul; SDN InfoRos; Nova Perspectiva Oriental; Revisão Oriental; Mundo Unido Internacional; e Geopolítica.

    Também designará “26 indivíduos baseados na Rússia e na Ucrânia que desempenham papéis centrais nessas organizações, permitindo que os esforços do governo da Federação Russa difundam a desinformação e influenciem as percepções como parte de sua invasão da Ucrânia”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original