Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chefe de Agência da ONU em Gaza diz que combustível da entidade está completamente esgotado

    Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras aos Refugiados da Palestina (UNRWA) não poderá abastecer hospitais, estação de água e padarias

    Christiane AmanpourAmy Cassidyda CNN

    O chefe da principal agência das Nações Unidas em Gaza disse nesta quinta-feira (2) que o abastecimento de combustível da entidade está “completamente esgotado” e que os últimos serviços públicos restantes em Gaza “colapsaram completamente”.

    A falta de combustível significa que a Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras aos Refugiados da Palestina (UNRWA) não poderá abastecer os hospitais, a estação de água e as padarias “nos próximos dias”, disse Philippe Lazzarini, comissário-geral da agência.

    A agência também pode não conseguir usar seus caminhões que estão dentro da Faixa de Gaza para prestar assistência humanitária.

    A UNRWA precisa analisar agora que outro combustível está disponível no enclave, disse Lazzarini numa entrevista para Christiane Amanpour da CNN.

    “Havia combustível comercial, que estava disponível, e também havia combustível que foi trazido pela comunidade internacional para abastecer a central elétrica”, explicou Lazzarini, acrescentando que durante a última semana a agência também trabalhou com autoridades israelenses por meio de canais de resolução de conflitos para coletar reservas de combustível.

    Colapso dos serviços públicos

    Os últimos serviços públicos restantes em Gaza “colapsaram completamente”, disse Lazzarini, e o “pouco” de caminhões de ajuda que atualmente têm permissão para entrar no território “basicamente não fazem nada para reverter o fato” de que Gaza está “sendo estrangulada pelo cerco”.

    “É extremamente triste ver o quanto esta população está agora completamente dependente de uma comunidade humanitária internacional, que já não está em posição de fornecer o que precisa”, afirmou o comissário-geral, acrescentando que “a fome está transformando-se em raiva”.

    Amanpour perguntou ao líder da agência de ajuda humanitária sobre relatos de que o Hamas estava armazenando e acumulando combustível.

    As Forças de Defesa de Israel (FDI) têm afirmado publicamente que o Hamas detém quantidades significativas de combustível para as suas operações militares – e que não estão utilizando os fornecimentos para satisfazer as necessidades humanitárias dos civis de Gaza.

    “O que posso dizer é que ninguém neste momento está cuidando das necessidades civis. Quando se trata de combustível, não tenho ideia de como tem sido o aumento militar do Hamas na Faixa de Gaza”, disse Lazzarini.

    Veja também: “Se não morremos por bombardeios, vamos morrer fome”, diz brasileira na Faixa de Gaza à CNN

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original