Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chile combate mais de 70 incêndios florestais fora do controle

    Fogos causaram a morte de 24 pessoas, destruíram 1.478 residências e deixaram 5.945 desabrigados no país

    Vista da floresta em chamas em Santa Juana, Chile, em 06 de fevereiro de 2023.
    Vista da floresta em chamas em Santa Juana, Chile, em 06 de fevereiro de 2023. Francisco Urzua/Anadolu Agency via Getty Images

    Ana Cucalónda CNN

    Bombeiros no Chile ainda combatem 79 incêndios florestais fora de controle dos quase 300 que permanecem ativos em sete regiões do país, informou o Serviço Nacional de Prevenção e Resposta a Desastres (Senapred) em comunicado no domingo (12).

    Segundo o relatório, há 39 incêndios descontrolados em La Araucanía, 19 em Ñuble, 12 em Biobío, quatro em Maule, três em Los Ríos, um em O’Higgins e um em Los Lagos.

    As autoridades informaram que há um total de 289 incêndios em todo o país, dos quais 168 foram controlados, 42 estão em observação, além dos 79 que são os mais preocupantes.

    Segundo o subsecretário do Interior, Manuel Monsalve, entre este sábado e domingo conseguiram controlar 19 incêndios. Ele indicou que ainda existem incêndios complexos em Maule, Ñuble, Biobío e La Araucanía”.

    Monsalve explicou que vai haver uma “janela climática”, que vai ajudar a baixar as temperaturas em alguns sectores, o que vai beneficiar o trabalho que está a ser feito pelos bombeiros e brigadistas no combate aos incêndios.

    Por seu lado, a ministra dos Negócios Estrangeiros do Chile, Antonia Urrejola, e o embaixador de Portugal no país receberam este domingo uma brigada de 144 especialistas portugueses que se juntaram ao combate aos incêndios.

    O relatório da Senapred indica que ainda existem 9 alertas vermelhos declarados nas regiões de O’Higgins, Maule, Ñuble, Biobío e La Araucanía, e 5 alertas amarelos em Los Ríos e Maule.

    Os incêndios florestais que atingem várias regiões do país há duas semanas causaram a morte de 24 pessoas, destruíram 1.478 residências e deixaram 5.945 desabrigados, segundo a Senapred.

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original