China aplica Coronavac em grupos de alto risco desde julho, diz fonte

Membro do governo chinês afirmou que o imunizante, que está em teste clínico de fase 3 no Brasil, foi usado em grupos de alto risco, como equipes médicas

Profissional de saúde segura caixa da Coronavac, vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac, durante testes em Porto Alegre
Profissional de saúde segura caixa da Coronavac, vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac, durante testes em Porto Alegre Foto: Diego Vara - 8.ago.2020/ Reuters

Da CNN

Ouvir notícia

A Coronavac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica Sinovac Biotech – e testada no Brasil pelo Instituto Butantan –, é usada desde julho para uso emergencial na China como parte de um programa para vacinar grupos de alto risco, como equipes médicas, segundo declarou uma fonte do governo para a agência Reuters.

A China tem dado vacinas experimentais contra o coronavírus para grupos de alto risco desde julho. Inicialmente, a informação era de que apenas a vacina que foi desenvolvida pelo Grupo Nacional de Biotecnologia da China (CNBG), da Sinopharm, era utilizada. Segundo a fonte da Reuters, no entanto, a Coronavac também foi integrada no programa.

Oficialmente, a China deu poucos detalhes sobre quais vacinas foram dadas a pessoas de alto risco no programa de uso de emergência. O país também não informou quantas pessoas foram vacinadas.

Um funcionário da área da saúde disse à imprensa estatal, recentemente, que as autoridades do país consideram expandir o programa para tentar prevenir possíveis surtos nos próximos meses.

Assista e leia também:

China diz que está vacinando médicos e funcionários das fronteiras desde julho

Grupo chinês diz que vacina contra Covid-19 mostra completa eficácia

Covid-19: Governo da China concede sua 1ª patente de vacina à CanSino

Sinovac: conheça detalhes da vacina chinesa em parceria com Instituto Butantan

O CNBG, que tem duas possíveis vacinas contra o novo coronavírus em testes clínicos na Fase 3, não revelou quais vacinas foram liberadas para uso emergencial.

A imprensa estatal noticiou em junho, antes do programa de uso de emergência das vacinas, que funcionários de empresas estatais que viajavam para o exterior foram autorizados a tomar uma das duas vacinas desenvolvidas pelo CNBG.

Os militares da China também receberam autorização para uso da vacina feita pela CanSino Biologics.

Ao todo, sete vacinas contra o novo coronavírus estão nas fases finais de testes clínicos ao redor do mundo – e quatro delas são de farmacêuticas chinesas.

Até o momento, no entanto, nenhuma delas concluiu a última fase de testes, se provando segura e efetiva – condições exigidas para obter aprovação regulamentar para uso em massa.

Rússia concorda com programa chinês

O CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), Kirill Dmitriev, opinou sobre o programa de distribuição imediata de uma potencial vacina na China. 

“O registro da vacina da Sinovac contra infecção por coronavírus na China sob o procedimento acelerado para uso de emergência mostra que muitos países estão seguindo a abordagem da Rússia neste assunto“, disse. 

“A China está protegendo seus médicos e professores de acordo com o modelo russo, fornecendo vacinas aos grupos de alto risco. Agora, mais de 10 países parceiros da RDIF estão estudando a experiência russa para o registro acelerado de medicamentos e vacinas contra o coronavírus com segurança comprovada, com base em soluções comprovadas, como o adenovírus humano usado na vacina russa Sputnik V“, completou.

(Com informações da Reuters e de Fabricio Julião, da CNN, em São Paulo)

Mais Recentes da CNN