Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cidade em Ohio impõe toque de recolher após protestos por morte de homem negro

    Jayland Walker foi assassinado por policiais com 60 tiros

    Daniel Trottada Reuters

    A cidade de Akron, em Ohio, nos Estados Unidos, decretou estado de emergência nesta segunda-feira (4), estabelecendo um toque de recolher e cancelando os fogos de artifício do Dia da Independência, depois que protestos pela morte de um negro desarmado pela polícia se tornaram incontroláveis na noite de domingo (3).

    As manifestações eclodiram depois que a polícia divulgou um vídeo de câmera corporal que mostrava oito policiais atirando em Jayland Walker, de 25 anos, enquanto ele fugia de uma parada de trânsito na semana passada. O corpo de Walker foi encontrado com cerca de 60 ferimentos de bala.

    Os protestos durante o dia no domingo foram pacíficos. Mas, apesar dos apelos da família Walker para que continuassem da mesma forma, a polícia de Akron declarou uma reunião ilegal assim que uma propriedade foi danificada. Oficiais dispararam bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, disse a WKYC-TV.

    O prefeito de Akron, Dan Horrigan, declarou que um toque de recolher no centro de Akron estava em vigor a partir das 21h às 6 da manhã até novo aviso. Uma comemoração com fogos de artifício em comemoração ao 4 de julho também foram cancelados.

    “Houve danos materiais significativos no centro de Akron. Pequenas empresas na Main Street tiveram suas janelas quebradas. Não podemos e não vamos tolerar a destruição de propriedades ou violência”, disse Horrigan em um comunicado.

    O tiroteio de Jayland Walker marca o mais recente de uma série de assassinatos policiais de homens negros desarmados, levantando questões sobre o uso da força pela polícia e justiça igual para afro-americanos e contribuindo para o aumento da polarização nos Estados Unidos.

    O porta-voz da Casa Branca, Andrew Bates, disse à Reuters que o Departamento de Justiça, incluindo a Divisão de Direitos Civis e o escritório de campo do FBI em Akron, está monitorando e avaliando de perto a situação em torno da morte de Walker.

    “Esta filmagem é perturbadora”, afirmou Bates. “E nenhuma família deveria ter que suportar a dor horrível e a perda de um ente querido que a família Walker está experimentando agora”.

    A polícia comunicou que Walker tinha uma arma em seu carro, mas a deixou no banco da frente enquanto fugia a pé. Oficiais acreditavam que ele disparou uma rodada de dentro do carro antes de fugir, e que estava “movendo-se para a posição de tiro” quando saiu de seu carro, levando-os a reagir a ele como uma ameaça em potencial, explicou o chefe de polícia de Akron, Stephen Mylett.

    Protestos

    O prefeito elogiou os protestos pacíficos em Akron. Centenas de manifestantes marcharam nas ruas da cidade com cerca de 200 mil habitantes, agitando bandeiras “Black Lives Matter” e cantando “Acabamos de morrer” e “Justiça para Jayland”.

    Horrigan expressou que o problema começou após o anoitecer, um padrão que aconteceu em 2020, quando protestos se espalharam pelos Estados Unidos pela morte de George Floyd, um homem negro que morreu quando um policial branco de Minneapolis se ajoelhou em seu pescoço por muitos minutos. Os policiais foram posteriormente condenados por várias acusações, incluindo assassinato e violações dos direitos civis.

    No domingo, o advogado da família Walker, Bobby DiCello, expôs a repórteres que estava “muito preocupado” com a acusação policial de que Walker havia disparado contra policiais de seu carro, acrescentando que não havia justificativa para sua morte violenta.

    “Eu lhe pergunto, enquanto ele está fugindo, o que é razoável? Para matá-lo? Não, isso não é razoável”, disse DiCello.

    O procurador-geral de Ohio e o Bureau of Criminal Investigation de Ohio estão investigando, e o arquivo será tornado público na conclusão do caso, emitiu o procurador-geral Dave Yost.

    “As pessoas querem e merecem respostas, e elas as terão. A BCI conduzirá uma investigação completa, justa e especializada”, disse Yost em comunicado.

    Os oito policiais diretamente envolvidos no tiroteio foram colocados em licença administrativa remunerada, disse o chefe de polícia de Akron.