Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Como o veredito do julgamento de Trump pode afetar as eleições americanas

    Júri delibera caso de ex-presidente dos EUA acusado de fraudar documentos fiscais para esconder pagamento a atriz de filmes adultos, Stormy Daniels, antes das eleições de 2016

    Trump em loja no Harlem em Nova York
    Trump em loja no Harlem em Nova York 16/4/2024 REUTERS/Adam Gray

    Tim Reidda Reuters

    Washington

    Os jurados que ouviram os argumentos finais do caso do ex-presidente dos Estados Unidos, começaram suas deliberações nesta quarta-feira (29) e avaliam um veredito com implicações potencialmente grandes para a corrida do candidato republicano à Casa Branca em 2024.

    O caso marca o primeiro julgamento criminal de um presidente dos EUA.

    Trump se declarou inocente de 34 acusações de falsificação de registros comerciais para encobrir um pagamento que comprou o silêncio da estrela de filmes adultos, Stormy Daniels, pouco antes das eleições de 2016.

    A atriz ameaçou tornar público um relato de um suposto encontro sexual com o ex-presidente em 2006, que Trump nega.

     

     

    O caso julgado em Nova York é visto pelo público como o menos importante dos quatro processos criminais que Trump enfrenta.

    Contudo, o candidato presidencial republicano passou mais tempo no tribunal do que em campanha nas últimas semanas e chamou a atenção para o único processo que provavelmente será julgado antes do confronto eleitoral no dia 5 de novembro contra maior opositor, o presidente democrata Joe Biden.

    Os três resultados potenciais da sala do júri – um veredito de culpado, uma absolvição ou um júri empatado – podem afetar a campanha presidencial de Trump. Entenda abaixo como.

    Veredito de culpado

    As pesquisas de opinião mostram que um veredito de culpa pode representar um perigo político significativo para Trump, em uma eleição que será potencialmente determinada em alguns estados decisivos.

    Um em cada quatro republicanos disse que não votaria em Trump se ele fosse considerado culpado em um julgamento criminal, de acordo com uma pesquisa Reuters/Ipsos em abril. Na mesma sondagem, 60% dos independentes afirmaram que não votariam em Trump se ele fosse condenado por um crime.

    Consultores republicanos e democratas têm opiniões divergentes sobre o impacto de um resultado de culpa.

    Whit Ayres, um pesquisador republicano, tem dúvidas sobre se um quarto dos republicanos realmente não votará em Trump se ele for condenado.

    O pesquisador disse que mesmo que apenas um pequeno número de republicanos e independentes mais moderados sejam influenciados por um veredito de culpa, e isso poderia ajudar Biden em uma eleição acirrada.

    No entanto, Ayres acredita que a natureza do caso de Nova York, que foi instaurado por um procurador democrata e que se baseia em estratégias jurídicas não testadas, ajudará o ex-presidente e os seus colegas republicanos a enquadrar um veredito de culpa como um golpe político.

    “Se eu estivesse tentando elaborar um processo judicial que pudesse ser facilmente descartado pelos republicanos como uma ‘caça às bruxas’ partidária, projetaria exatamente o caso que está sendo apresentado em Nova York”, afirma o especialista.

    A consultora republicana Tricia McLaughlin, que trabalhou na campanha de Vivek Ramaswamy, candidato às eleições presidenciais primárias do Partido Republicano em 2024, disse acreditar que um veredito de culpado teria um impacto psicológico em Trump.

    Para a consultora, o resultado negativo também desviaria mais recursos financeiros para projetos legais porque seria quase certo que o ex-presidente apelaria ao veredito, acrescentou.

    Bill Galston, analista e membro sênior do grupo de reflexão da Brookings Institution em Washington, disse não esperar que um veredito de culpa teria um impacto significativo na corrida presidencial.

    “No final das contas, isso equivale a mentir sobre sexo. Acho que a opinião provavelmente da maioria dos americanos é que todo mundo mente sobre sexo”, afirma Galston, que trabalhou em campanhas presidenciais democratas.

    O analista também trabalhou na administração do presidente Bill Clinton, cujo mandato na Casa Branca na década de 1990 foi marcado por escândalos sexuais.

    Veredito de inocente

    Consultores de todo o espectro político concordam que uma absolvição seria uma enorme vitória para Trump, especialmente porque ele alegou que o julgamento é uma falsa perseguição política que visa descarrilar a sua candidatura presidencial.

    Durante a campanha, o candidato poderia usar um veredito de inocência em Nova York para alegar que os outros casos contra ele também não têm mérito legal, disse a consultora republicana, McLaughlin.

    Trump enfrenta acusações federais e estaduais em Washington e na Geórgia de tentar reverter sua derrota para Biden em 2020 e acusações federais na Flórida de manuseio indevido de documentos confidenciais depois de deixar a Casa Branca em 2021.

    O ex-presidente se declarou inocente em todos os três casos.

    “É um ótimo alimento para ele”, disse McLaughlin. “Ele dirá: ‘Ganhei esse julgamento falso, essa caça às bruxas em Nova York, e é isso que vai acontecer com os outros julgamentos'”, acrescentou.

    A Reuters/Ipsos não investigou como uma absolvição afetaria a opinião dos eleitores sobre a corrida presidencial.

    Karen Finney, consultora democrata que trabalhou na Casa Branca do presidente Clinton, disse que para os principais apoiantes de Trump “uma absolvição fará com que se sintam justificados e validados”.

    Mas ela afirma que os detalhes revelados no depoimento no julgamento e na alegação central do caso – de que o candidato republicano providenciou um pagamento secreto a uma estrela pornô – ainda podem prejudicá-lo, mesmo que os jurados o considerem inocente.

    “O que foi revelado durante o caso pode desanimar as mulheres que Trump ainda tem problemas”, disse Finney, embora tenha dito que ele interpretaria uma absolvição como uma “grande vitória”.

    A campanha de Biden está preparando um comunicado a ser emitido após um resultado que lembrará aos apoiantes que “a única forma de derrotar Trump é nas urnas”, disse um responsável familiarizado com a estratégia da campanha.

    Empate no júri

    Se os 12 jurados que deliberam o caso de Trump não chegarem a acordo sobre um veredito unânime, o resultado será um júri empatado e o juiz terá que declarar a anulação do julgamento, dizem especialistas jurídicos.

    Trump considerará a anulação do julgamento uma vitória, mas sem a validação que uma absolvição lhe daria, disseram os consultores políticos e analistas.

    O julgamento manteve o candidato republicano nas notícias, algo que ele gosta, disse John Feehery, um consultor republicano que trabalhou para líderes do Congresso.

    “A anulação do julgamento colocaria um fim a isso, ao mesmo tempo que não daria a Trump um ‘atestado de saúde limpo’”, acrescenta.

    A consultora democrata Finney disse que, qualquer que seja o veredito, espera-se que Trump fique livre da ordem de silêncio imposta pelo juiz de primeira instância.

    “Independentemente de um júri empatado, os fatos escandalosos do caso são agora de domínio público”, acrescentou Finney.

    A anulação do julgamento também dirá aos eleitores que pelo menos alguns jurados acreditavam que Trump era culpado, segundo a consultora.