Gabby Petito: conduta policial no caso da influenciadora morta será investigada

Agentes atenderam ocorrência de violência doméstica envolvendo o namorado, que é suspeito do assassinato, duas semanas antes da morte da jovem

Imagens da câmera de corpo do Departamento de Polícia de Moab mostram Gabby Petito falando com policiais
Imagens da câmera de corpo do Departamento de Polícia de Moab mostram Gabby Petito falando com policiais Departamento Policial de Moab

Eric LevensonRay Sanchezda CNN*

Ouvir notícia

O município de Moab, no estado americano de Utah, disse que está iniciando uma investigação sobre como o Departamento de Polícia da Cidade lidou com uma ocorrência de violência doméstica entre Gabby Petito, de 22 anos, e Brian Laundrie, de 23, em agosto, semanas antes de ela ser morta.

A investigação decorre das interações da polícia com Petito e Laundrie, em 12 de agosto, no meio de sua viagem #VanLife para parques no oeste americano. Em Moab, um viajante ligou para o 911 (o 190 dos EUA) para relatar uma possível briga doméstica envolvendo o casal, em sua van branca.

A discussão, assim como um incidente em um restaurante de Wyoming, mostram as tensões crescentes em seu relacionamento, mesmo enquanto documentavam uma versão mais feliz da viagem nas redes sociais.

Imagens da câmera corporal do policial mostram a interação da polícia que ocorreu cerca de duas semanas antes de Petito se comunicar pela última vez com sua família. e Há ainda um relatório de registro policial.

A administração municipal informou em um comunicado que o departamento de polícia recebeu elogios e críticas por “sua resposta e resolução do incidente envolvendo Petito e Laundrie”.

“O Departamento de Polícia da cidade de Moab tem padrões claros para a conduta dos policiais durante uma possível violência doméstica e nossos policiais são treinados para seguir esses padrões e protocolo”, disse a cidade.

“Neste momento, a cidade de Moab não tem conhecimento de qualquer violação da política do Departamento de Polícia durante este incidente. No entanto, a cidade irá conduzir uma investigação formal e, com base nos resultados, tomará quaisquer próximos passos que possam ser apropriados”, concluiu.

Relato da testemunha

A interação policial começou com o telefonema de uma testemunha que viu o que considerou um incidente preocupante. No áudio do 911 daquele dia, fornecido pelo Gabinete do Xerife do Grande Condado, o interlocutor disse ao despacho que queria relatar um caso de violência doméstica envolvendo um casal que foi embora em uma van branca.

“Passamos de carro e o senhor estava dando um tapa na garota”, disse a testemunha. “Então paramos. Eles correram para cima e para baixo na calçada. Ele começou a bater nela, entrou no carro e eles foram embora”.

Em um relatório da polícia de Moab, outra testemunha chamada Christopher disse à polícia que viu o casal discutindo ao telefone. A testemunha disse que, quando Laundrie entrou na van, Petito pareceu lhe dar um soco no braço e então escalou a porta do motorista como se a tivesse trancado do lado de fora, afirma o relatório.

A polícia localizou a van e parou o casal depois que o veículo ultrapassou o limite de velocidade, saiu abruptamente de sua pista e bateu em um meio-fio, de acordo com o relatório policial.

Gabby Petito, de 22 anos, viajava de van com o noivo, Brian Laundrie, quando desapareceu
Gabby Petito, de 22 anos, viajava de van com o noivo, Brian Laundrie, quando desapareceu / Reprodução/wheresgabby.com

Imagens da câmera corporal

O policial caminhou até o lado do passageiro do veículo, onde Petito chorando lhe disse: “Acabamos de brigar esta manhã. Problemas pessoais”, de acordo com a filmagem da câmera corporal.

Após entrevistar Petito, Laundrie e a testemunha, os policiais descrevem o incidente como uma discussão que se transformou em uma luta física envolvendo empurrões e arranhões.

Laundrie tinha pequenos arranhões visíveis no rosto e no braço direito, mas “não temia por sua segurança” e “não exibia nenhum indicador de que pudesse ser vítima da ‘síndrome do namorado espancado'”, observa o relatório. “Ele foi avaliado como tendo baixo risco de perigo ou dano como resultado de sua proximidade com seu noivo.”

Petito, por sua vez, chorava incontrolavelmente e estava ofegante, observa o relatório. Ela é descrita no relatório como estando em um “estado confuso e emocional”.

Na filmagem da câmera corporal, um policial explica que consideram Petito o agressor e Laundrie a vítima. Nenhuma acusação foi registrada e, por sugestão dos policiais, o casal se separou durante a noite, com Laundrie hospedado em um hotel e Petito levando a van.

“Tanto o homem quanto a mulher relataram que estão apaixonados e noivos para se casar e desesperadamente não desejam ver ninguém acusado de um crime”, escreve o oficial Eric Pratt no relatório.

“Depois de avaliar a totalidade das circunstâncias, não acredito que a situação tenha chegado ao nível de uma agressão doméstica tanto quanto de uma crise de saúde mental”, escreveu o oficial Daniel Robbins no relatório.

“Eu então determinei que o curso de ação mais apropriado seria ajudar a separar as partes durante a noite para que eles pudessem redefinir seus estados mentais sem a interferência um do outro.”

Petito e Laundrie concordaram com esse plano, afirma o relatório. Eles tinham seus próprios telefones celulares em caso de emergência, acrescenta o relatório.

gabby petito
Imagens da câmera de corpo do Departamento de Polícia de Moab os mostram conversando com Brian Laundrie, que tinha vários arranhões no rosto e no braço / Departamento Policial de Moab

Namorado voltou para casa em Gabby Petito

Laundrie voltou para a casa de seus pais na Flórida sem ela em 1º de setembro, e sua família relatou seu desaparecimento 10 dias depois. Seu corpo foi encontrado no domingo em Wyoming, perto de onde o casal foi visto pela última vez. Um legista determinou que ela morreu de homicídio.

Laundrie, que se recusou a falar com os investigadores, está desaparecido desde a semana passada. A cidade de Moab disse que os investigadores vão reunir todos os fatos e evidências para avaliar a resposta da polícia ao incidente.

“Entendemos que as pessoas podem ver a mesma situação de maneiras muito diferentes e reconhecemos como a morte da Sra. Petito mais de duas semanas depois em Wyoming pode levar a especulações, em retrospectiva, sobre as ações tomadas durante o incidente em Moab. O objetivo da investigação formal da cidade é reunir os fatos subjacentes e as evidências necessárias para fazer uma avaliação completa e informada de tais ações”, segundo a cidade.

O departamento de polícia colocará todas as informações sobre o incidente de Petito à disposição das agências que investigam sua morte, e os policiais também estarão disponíveis para responder a quaisquer perguntas, disse o comunicado.

A CNN Internacional entrou em contato com o Departamento de Polícia da Cidade de Moab para uma declaração.

Relacionamento tóxico

O relatório policial também observa que dois oficiais do Serviço Nacional de Parques responderam à cena. Uma das policiais, Melissa Hulls, disse ao Deseret News que falou com Petito e a avisou que seu relacionamento com Laundrie tinha as marcas de um relacionamento “tóxico”.

“Eu estava implorando a ela para reavaliar o relacionamento, perguntando se ela estava feliz no relacionamento com ele, e basicamente dizendo que esta era uma oportunidade para ela encontrar outro caminho, para fazer uma mudança em sua vida”, disse Hulls ao Deseret News .

“Este não foi um bom dia para ninguém”, acrescentou ela. “Achamos que estávamos tomando a decisão certa quando os deixamos.”

*Esse texto foi traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês

Mais Recentes da CNN