Coreia do Norte dispara dois mísseis de cruzeiro, diz Coreia do Sul

Lançamento está sendo analisado pelas autoridades de inteligência da Coreia do Sul e dos Estados Unidos

Suposto disparo de mísseis balísticos a partir de submarino norte-coreano
Suposto disparo de mísseis balísticos a partir de submarino norte-coreano Foto: KCNA via REUTERS

Yoonjung Seoda CNN

Ouvir notícia

A Coreia do Norte disparou dois mísseis de cruzeiro na manhã de terça-feira (25), de acordo com os militares sul-coreanos.

O lançamento está sendo analisado pelas autoridades de inteligência da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

Isso ocorre no momento em que a Coreia do Norte aumentou seus testes de mísseis este mês, dizendo que reforçará suas defesas contra os EUA e avalia “reiniciar todas as atividades temporariamente suspensas”, segundo a mídia estatal KCNA.

Se confirmados como um teste, os mísseis disparados na terça-feira marcariam a quinta ação desse tipo este ano pelo regime de Kim Jong Un.

Em 17 de janeiro, a capital Pyongyang testou “mísseis táticos guiados”, que são mísseis balísticos de curto alcance, disse a KCNA.

A Coreia do Norte alegou ter mísseis hipersônicos testados com sucesso em 5 e 11 de janeiro e, em seguida, o que se presume serem mísseis balísticos de curto alcance de um vagão ferroviário em 14 de janeiro.

Pyongyang está impedido pela lei internacional de desenvolver mísseis balísticos e armas nucleares.

Após o teste, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte advertiu os Estados Unidos por sua postura contra o desenvolvimento de armas de Pyongyang.

“Se os EUA adotarem tal postura de confronto, a RPDC será forçada a reagir com mais força e certeza”, disse o porta-voz, referindo-se ao país por seu nome oficial, República Popular Democrática da Coreia.

Em um comunicado recente divulgado pela KCNA, um porta-voz defendeu o direito da Coreia do Norte de reforçar suas armas, dizendo que seu “desenvolvimento recente de um novo tipo de arma era apenas parte de seus esforços para modernizar sua capacidade de defesa nacional”.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN