Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Testes de mísseis na Coreia do Norte chegam a níveis mais avançados, diz Seul

    O possível míssil balísico pode chegar a 10 vezes a velocidade do som, disseram representantes da Coreia do Sul

    Pessoas em Seul, Coreia do Sul, assistem ao lançamento de suposto míssil balístico norte-coreano em 5 de janeiro de 2022
    Pessoas em Seul, Coreia do Sul, assistem ao lançamento de suposto míssil balístico norte-coreano em 5 de janeiro de 2022 Chung Sung-Jun/Getty Images

    Yoonjung SeoBrad Lendonda CNN

    Seul

    Um possível míssil balístico lançado pela Coreia do Norte na terça-feira (11) seria mais avançado do que o míssil que Pyongyang testou na semana passada, chegando a uma velocidade de dez vezes a do som, disse a Junta de Chefes de Efetivo da Coreia do Sul, em nota.

    O projétil foi lançado da província de Jangang, perto da fronteira norte-coreana com a China, e aterrissou no oceano entre a Península da Coreia e o Japão, seu voo cobrindo uma distância de mais de 700 quilômetros e alcançando uma altura de 60 quilômetros, disse o anúncio.

    Mapa divulgado pelo Ministério da Defesa do Japão mostra a trajetória de voo do projétil / Ministério de Defesa do Japão

    A avaliação do teste pelas inteligências sul-coreana e norte-americana está em processo, mas a análise inicial mostrou que o teste mais recente, no qual o projétil alcançou uma velocidade Mach 10 (número que representa 10 vezes a velocidade do som), é de uma arma mais avançada do que a do teste conduzido na última quinta-feira (6), disseram as autoridades.

    O lançamento foi do que a mídia estatal norte-coreana afirmou ser um míssil hipersônico, o segundo teste referido de uma arma semelhante pelo regime de Kim Jong Un. No entanto, muitos especialistas duvidaram dessa alegação.

    Um míssil hipersônico, na verdade, se refere à carga útil que um foguete carrega. Neste caso, essa carga pode ser o que se é chamado de veículo deslizante hipersônico (Hypersonic Glide Vehicle, HGV, na sigla em inglês).

    Um HGV pode voar teoricamente em até 20 vezes a velocidade do som, e pode ser facilmente manobrável em voo, fazendo com que seja quase impossível de derrubar, de acordo com especialistas.

    Mas uma nota do governo sul-coreano na terça-feira disse: “nosso exército tem a capacidade de detectar e interceptar esse projétil, e estamos continuamente reforçando nosso sistema de resposta”.

    A Coreia do Sul expressou um “forte desapontamento com o lançamento do país ao Norte, que ocorreu em um momento onde estabilidade política é muito importante”.

    Uma nota das Forças dos EUA na Coreia disseram que o teste não demonstra ameaça nem para os Estados Unidos, nem para a Coreia do Sul, ou seus exércitos, mas “o lançamento do míssil destaca o efeito desestabilizador do programa ilícito de armamento [da Coreia do Norte].”

    A Coreia do Norte não divulgou nenhuma informação sobre o lançamento da terça-feira. Na semana anterior, a mídia estatal deu detalhes 24 horas após o teste.

    A prova de terça-feira cobriu praticamente a mesma distância que o da semana prévia, cerca de 700 quilômetros, e o míssil caiu no mar fora da Zona Econômica Exclusiva do Japão (EEZ), de acordo com o Ministério da Defesa japonês.

    Pyongyang é proibida de testar mísseis balísticos e armas nucleares sob a lei internacional.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original