Coreia do Norte relata seis novas mortes em meio a surto de Covid-19

País registrou aproximadamente 270 mil pessoas com sintomas de febre

Trabalhadores limpam restaurante na capital da Coreia do Norte em março de 2022; país registrou primeiro caso de Covid-19 em maio de 2022
Trabalhadores limpam restaurante na capital da Coreia do Norte em março de 2022; país registrou primeiro caso de Covid-19 em maio de 2022 Kyodo News via Getty Images

Hyonhee Shinda Reuters

Ouvir notícia

A Coreia do Norte relatou, na terça-feira (17), em horário local, seis novas mortes por Covid-19 em meio a uma onda da doença que atinge o país.

Aproximadamente 270 mil pessoas estão com sintomas de febre, elevando o número total para 1,4 milhão, segundo informações da KCNA da mídia estatal na terça -feira.

O líder norte-coreano Kim Jong-Un conduziu uma reunião de emergência do Politburo (comitê dos partidos comunistas) e ordenou que os militares sejam usados ​​para estabilizar o fornecimento de medicamentos na cidade de Pyongyang.

“Todas as províncias, cidades e condados do país foram totalmente fechados e unidades de trabalho, unidades de produção e unidades residenciais isoladas desde a manhã de 12 de maio, e um exame rigoroso e intensivo de todas as pessoas está sendo realizado”, informou a KCNA no domingo (15).

A Organização Mundial da Saúde (OMS), declarou, nesta segunda-feira (16), que acompanha com preocupação o surto da doença no país. Em um comunicado divulgado à imprensa, a entidade reiterou o compromisso de apoio ao país na resposta à pandemia.

“A OMS está preocupada e pronta para apoiar o governo e o povo da Coreia do Norte para responder à pandemia e salvar vidas”, disse Poonam Khetrapal Singh, diretor regional da OMS para o Sudeste Asiático.

“Como o país ainda não iniciou a vacinação contra a Covid-19existe o risco de o vírus se espalhar rapidamente entre as pessoas, a menos que seja reduzido com medidas imediatas e apropriadas”, continuou Singh.

Mais Recentes da CNN