Coreia do Sul, EUA e Japão reprovam testes de mísseis da Coreia do Norte e pedem diálogo

Representantes dos três países pediram ainda que haja conversa sobre a situação epidemiológica norte-coreana

Autoridades dos EUA, do Japão e da Coreia do Sul durante reunião em Seul
Autoridades dos EUA, do Japão e da Coreia do Sul durante reunião em Seul 08/06/2022 Jeon Heon-Kyun/Pool via REUTERS

Hyonhee ShinJoori Rohda Reuters

Ouvir notícia

Os testes de mísseis da Coreia do Norte são provocações “graves e ilegais”, disseram autoridades de alto escalão da Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão nesta quarta-feira (8), fazendo um apelo para o país a retornar o diálogo e aceitar ajuda para enfrentar a Covid-19.

O vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Cho Hyun-dong, a vice-secretária de Estado dos EUA, Wendy Sherman, e o vice-ministro das Relações Exteriores do Japão, Takeo Mori, fizeram críticas ao se reunirem em Seul, dias após a Coreia do Norte realizar seus mais recentes testes de mísseis e com sinais de que está preparando o que seria seu primeiro teste nuclear desde 2017.

A reunião de três vias dos segundos diplomatas dos países, a primeira desde novembro e a primeira desde que o presidente Yoon Suk-yeol assumiu o cargo na Coreia do Sul em maio, destacou a inquietação internacional sobre a intensificação dos testes de armas da Coreia do Norte.

Os três países pediram à Coreia do Norte que cumpra as sanções internacionais e cesse imediatamente as ações que “aumentam as tensões ou desestabilizam a região”, segundo comunicado.

Eles também se comprometeram a aumentar a cooperação de segurança para enfrentar as ameaças da Coreia do Norte, com Sherman reafirmando os compromissos de defesa dos EUA, incluindo “dissuasão ampliada”, o que significa a capacidade dos militares dos EUA, particularmente suas forças nucleares, de impedir ataques a aliados.

“Eles enfatizaram que um caminho para um diálogo sério e sustentado permanece aberto e apelaram a Coreia do Norte para retornar às negociações, ao mesmo tempo em que expressam sua esperança de que a Coreia do Norte responda positivamente às ofertas internacionais de assistência para combater a Covid-19“, de acordo com comunicado.

 

Mais Recentes da CNN