Cosmonautas russos estão “surpresos” por polêmica sobre trajes, diz astronauta

Roupa com cores amarela e azul foi associada como apoio à Ucrânia; cosmonautas disseram que prestavam homenagem à universidade em que estudaram

Cosmonautas russos Sergey Korsakov, Oleg Artemyev e Denis Matveyev são vistos durante uma cerimônia de boas-vindas depois de chegar à Estação Espacial Internacional
Cosmonautas russos Sergey Korsakov, Oleg Artemyev e Denis Matveyev são vistos durante uma cerimônia de boas-vindas depois de chegar à Estação Espacial Internacional Reprodução/Roscosmos

Katie Huntda CNN

Ouvir notícia

Os três cosmonautas russos que embarcaram na Estação Espacial Internacional no mês passado em trajes espaciais com cores da bandeira da Ucrânia estavam prestando homenagem à universidade em que estudaram e não protestando contra a invasão da Rússia, disse o astronauta da Nasa, Mark Vande Hei, na terça-feira (5).

Os trajes espaciais nas cores amarela e azul surpreenderam muitos observadores, que assumiram que os russos estavam mostrando apoio à Ucrânia. No entanto, os três cosmonautas se graduaram pela Bauman Moscow State Technical University, que tem as cores amarela e azul em seu emblema.

Vande Hei disse que os cosmonautas Oleg Artemyev, Denis Matveev e Sergey Korsakov foram pegos de surpresa pela controvérsia sobre seus trajes espaciais.

“Todos os três estão relacionados à mesma universidade, e acho que foram pegos de surpresa por isso”, disse ele em entrevista coletiva.

Vande Hei disse que não se esquivou de discutir a guerra com seus companheiros de tripulação da estação espacial.

“Não foram discussões muito longas, mas eu perguntei a eles como estavam se sentindo e, algumas vezes, fiz perguntas pontuais, mas nosso foco estava em nossa missão juntos.”

Vande Hei pousou no Cazaquistão em uma espaçonave russa Soyuz MS-19 em 30 de março, após um recorde de 355 dias no espaço. Ele viajou de volta da estação espacial com os cosmonautas Anton Shkaplerov e Pyotr Dubrov.

Tensões geopolíticas

O retorno da Estação Espacial Internacional foi muito esperado e chamou atenção sem precedentes por causa das crescentes tensões geopolíticas alimentadas pelo chefe da agência espacial russa, Dmitry Rogozin, que fez vários posts nas redes sociais direcionados aos Estados Unidos.

Isso incluiu Rogozin retuitando um vídeo parcialmente animado que parecia ameaçar que os cosmonautas russos abandonariam Vande Hei no espaço.

Rogozin também se envolveu em uma discussão no Twitter com o astronauta aposentado da Nasa, Scott Kelly, que detinha o recorde de maior permanência no espaço por um astronauta dos EUA até Vande Hei superá-lo.

Vande Hei disse que ouviu sobre os posts pela sua esposa. “Eu nunca percebi esses tweets como algo para se levar a sério”, disse ele, acrescentando que viu as postagens como destinadas a um “outro público” além dele.

“Eu simplesmente não gastei muita energia emocional prestando atenção nisso. Eu ouvi sobre isso. Eu meio que ri e segui em frente”, disse ele.

No sábado, Rogozin sugeriu em uma série de tweets que a Rússia poderia encerrar a cooperação com a Estação Espacial Internacional devido a sanções internacionais a Moscou e disse que a Rússia prepararia “propostas concretas à liderança de nosso país” sobre a possibilidade de encerrar a cooperação na estação com as agências espaciais dos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e Japão.

A Nasa disse que “o relacionamento profissional entre nossos parceiros internacionais, astronautas e cosmonautas continua para a segurança e missão de todos a bordo da Estação Espacial Internacional”.

Outras partes do programa espacial da Rússia foram afetadas pela guerra na Ucrânia. O projeto do rover de Marte do país com a Agência Espacial Europeia está em espera.

Companheiros de tripulação russos são ‘queridos amigos’

Vande Hei se recusou a revelar como os russos a bordo se sentiam sobre a invasão da Ucrânia. “Essas são coisas que eu preferiria que eles compartilhassem diretamente, em vez de eu compartilhar como eles se sentem sobre isso”, disse ele.

Ele disse que a invasão em si foi “comovente, muito triste” e se sentiu “impotente” ao saber sobre isso enquanto estava no espaço. Vande Hei disse que isso não mudou seus sentimentos sobre seus companheiros de tripulação russos.

“Eles foram, são e continuarão sendo meus amigos queridos. Nós nos apoiamos em tudo. E nunca tive nenhuma preocupação sobre minha capacidade de continuar trabalhando com eles”.

Ao pousar após sua missão recorde, Vande Hei disse que conseguiu andar após cerca de oito horas, embora tenha dito que estava mais cambaleando.

Ele disse que também estava feliz em comer guacamole pela primeira vez em um ano e ficou chocado com o quão parecia normal estar de volta à Terra depois de tanto tempo no espaço.

“É um pouco decepcionante como isso parece normal.”

 

Com informações de Rachel Crane e Ross Levitt, da CNN

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN