Crise com Talibã fez Biden ser desaprovado pela 1ª vez nos EUA, diz professora

Fernanda Magnotta, que coordena o curso de Relações Internacionais da FAAP, explicou alteração da opinião pública norte-americana em relação a atuação do país no Afeganistão

Produzido por Elis Francoda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

A crise desencadeada no Afeganistão com a retirada das tropas norte-americanas do país já impacta na popularidade do presidente Joe Biden, avalia a coordenadora do curso de Relações Internacionais da FAAP, Fernanda Magnotta.

O prazo final dado pelo grupo islâmico Talibã para a saída definitiva dos Estados Unidos do Afeganistão é em 31 de agosto. Militares ainda presentes em Cabul correm para retirar equipamentos e aprovar os últimos vistos para afegãos aliados que desejam deixar o país.

Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (30), a professora lembrou que, no início do mandato de Biden, a opinião pública americana era muito aberta a ideia de que os Estados Unidos deveriam deixar o Afeganistão após 20 anos de conflito — a guerra mais longa da história do país e uma das mais caras também.

“Os números apontavam em torno de 70% de aprovação popular [para a retirada dos EUA do país], ou seja, a opinião pública era majoritariamente favorável a essa ideia”, disse Fernando. “O problema é que a execução levada a cabo pelo governo Biden fez com que a reputação do presidente e a própria percepção dos norte-americanos sobre essa atitude fosse revisitada.”

Segundo Fernanda, a opinião popular nos EUA em relação a atuação do país no Afeganistão mudou ao longo do último mês. “Hoje seria algo em torno de 40% e essa mudança também reflete em termos de popularidade do presidente Biden, que alcançou agora a pior marca histórica em relação a sua aprovação”, afirmou.

“Aliás, pela primeira vez, na semana passada, a desaprovação superou a aprovação — o que significa uma reação da opinião pública em relação ao que assistimos”, completou a professora.

Fotos – Imagens da evacuação no Afeganistão

No entanto, ela lembrou que, em política externa, o peso que se dá em questões governamentais não costuma impactar domesticamente. “O público é sensível a temática, tanto que esses números acabaram se alterando, mas, ao longo da história, a política externa não costuma definir eleições nos EUA.”

Joe Biden discursa na Casa Branca
Joe Biden discursa na Casa Branca sobre a crise no Afeganistão / Getty Images

Mais Recentes da CNN