Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cuba anuncia novas políticas migratórias conforme êxodo para os EUA continua

    Mais de 300 mil cubanos chegaram à fronteira americana no ano passado, de acordo com a Agência de Alfândega e Patrulha de Fronteira dos EUA, emigração recorde em meio a uma crise econômica na ilha

    Pessoas aguardam em fila para entrar na embaixada dos Estados Unidos em Havana, Cuba.
    Pessoas aguardam em fila para entrar na embaixada dos Estados Unidos em Havana, Cuba. Alexandre Meneghini/Reuters (04.jan.23)

    Nelson Acostada Reuters

    Havana

    Cuba anunciou na terça-feira (16) medidas que aliviam as restrições aos seus cidadãos que vivem no exterior à medida que o país comunista continua a lutar com um êxodo sem precedentes de migrantes para os Estados Unidos.

    O Ministério das Relações Exteriores de Cuba disse que os passaportes serão válidos por dez anos, em vez de seis, para os cubanos maiores de 16 anos, e cortou mais da metade dos custos associados à renovação de documentos de viagem fora da ilha.

    A pasta também eliminou a exigência para que os cubanos paguem uma taxa a cada dois anos, mesmo antes de seus passaportes expirarem, para manter seu status ativo.

    As novas regras entram em vigor em 1º de julho, disse Ernesto Soberón, diretor de Assuntos Consulares do Ministério das Relações Exteriores de Cuba. Ele disse que as medidas estão focadas no “fortalecimento dos laços com a comunidade cubana no exterior”.

    Cuba por décadas limitou a emigração de seus cidadãos, e muitos cubanos que vivem no exterior se queixam de entraves burocráticos e taxas exorbitantes para manter vínculos e renovar documentos de viagem com seu país de origem.

    Mais de 300 mil cubanos chegaram à fronteira com os EUA ano passado, de acordo com dados da Agência de Alfândega e Patrulha de Fronteira dos EUA, um êxodo recorde em meio a uma crise econômica sem precedentes.

    A migração para fora da ilha tem estressado ainda mais a economia quase colapsada do país e pesa fortemente sobre a sociedade cubana, com muitas famílias separadas e espalhadas ao redor do globo.