Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cúpula do G7 pede por “mundo sem armas nucleares” durante encontro no Japão

    Comunicado divulgado pela Casa Branca condenou a retórica nuclear da Rússia

    G7
    G7 Michael Kappeler/picture alliance via Getty Images

    Rami AyyubKatharine Jacksonda Reuters

    Membros do G7 pediram nesta sexta-feira (19) por um “mundo sem armas nucleares”, instando Rússia, Irã, China e Coreia do Norte a cessar a escalada nuclear e abraçar a não proliferação, segundo comunicado divulgado pela Casa Branca.

    A retórica nuclear da Rússia e a intenção declarada de implantar armas nucleares em Belarus “são perigosas e inaceitáveis”, e a Rússia deve retornar à plena implementação do novo tratado START – que prevê a redução pela metade do número de lançadores de mísseis nucleares estratégicos -, disseram os líderes no documento.

    “O mundo agora enfrenta várias crises, como a crise climática, a pandemia e a invasão russa da Ucrânia. Nessas circunstâncias, o G7, que compartilha valores fundamentais, deve responder com eficácia a questões importantes enfrentadas pela comunidade internacional e liderar o mundo”, disse o comunicado.

    Guerra

    Sobre a Ucrânia, os líderes do G7 disseram ter garantido que o país tivesse o orçamento para atender às necessidades para este ano e início de 2024. “Hoje estamos tomando novas medidas para garantir que a agressão ilegal da Rússia contra o estado soberano da Ucrânia falhe e para apoiar o povo ucraniano em sua busca por uma paz justa baseada no respeito ao direito internacional”, disseram eles em um comunicado.

    Os Estados Unidos e o restante das economias do G7 anunciarão novas sanções e controles de exportação contra a Rússia por causa de sua guerra contra a Ucrânia, disse uma autoridade dos EUA antes da cúpula.