Departamento de Estado dos EUA se prepara a possível ataque russo à capital da Ucrânia

Departamento de Estado retira a maior parte da equipe na embaixada do país em Kiev, segundo autoridade

Em meio à tensão, ao menos 20 países pedem para cidadãos deixarem Ucrânia
Em meio à tensão, ao menos 20 países pedem para cidadãos deixarem Ucrânia Anadolu Agency/Getty Images

Kylie Atwoodda CNN

Ouvir notícia

O Departamento de Estado está retirando a maior parte da equipe na embaixada dos Estados Unidos em Kiev, na Ucrânia. Segundo uma autoridade, a decisão ocorre porque a Rússia tem um exército “muito capaz” e os Estados Unidos precisam se preparar para o pior cenário: um ataque russo à capital ucraniana.

A missão dos Estados Unidos mantém apenas um “núcleo” de diplomatas na Ucrânia, e ordena que a maioria dos funcionários deixe o país. Alguns dos diplomatas que ficam vão se mudar para Lviv, uma cidade no oeste da Ucrânia, de acordo com o funcionário.

“A prudência exige que assumamos, planejemos e nos preparemos para o pior cenário. E o pior cenário obviamente envolveria ataques russos substanciais à capital ucraniana”, disse a autoridade a repórteres durante um telefonema na manhã deste sábado (12).

“A Rússia tem um exército muito capaz com poder de combate substancial, e se optar por utilizar uma parte significativa desse poder de combate contra a capital ucraniana, há muitas oportunidades – mesmo com restrição e respeito pelas instalações diplomáticas – para que as coisas aconteçam de maneira errada”, disse o funcionário.

“Estamos transferindo algumas pessoas [para Lviv] em parte por causa de sua proximidade com as instalações diplomáticas e consulares dos EUA nos países vizinhos, para que possamos manter uma estreita coordenação com colegas nesses países vizinhos e garantir que, no caso de uma ação militar por parte da Rússia começar, podemos mover essas pessoas com segurança, se decidirmos fazê-lo”, disse o funcionário.

Os diplomatas dos Estados Unidos desempenharão funções diplomáticas essenciais e fornecerão “serviços consulares de emergência” em Lviv, disse o funcionário. Mas os serviços de rotina só estarão disponíveis para norte-americanos em países vizinhos, disse a autoridade.

Os diplomatas não estão trabalhando em uma instalação dos Estados Unidos em Lviv, estão apenas temporariamente na cidade, disse o funcionário.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN