Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dezenas de palestinos são mortos em Gaza e Hamas promete “arruinar” Israel

    Moradores do campo de Al-Nusseirat disseram que dezenas de pessoas foram mortas ou feridas após bombardeios

    Prédios destruídos em Khan Younis, Gaza
    Prédios destruídos em Khan Younis, Gaza 11/4/2024 Divulgação via REUTERS

    Nidal al-Mughrabida Reuters

    Forças israelenses lutaram contra combatentes palestinos no norte e no centro da Faixa de Gaza nesta sexta-feira (12), enquanto Khaled Meshaal, uma autoridade sênior do movimento Hamas, que governa Gaza, disse que a batalha de seis meses contra Israel vai “arruinar o inimigo em breve”.

    A maioria das tropas israelenses foi retirada de Gaza em preparação para um ataque à cidade de Rafah, ao sul, onde mais de um milhão de palestinos estão abrigados, mas os combates continuaram em várias áreas.

    Moradores do campo de Al-Nusseirat, na região central de Gaza, disseram que dezenas de pessoas foram mortas ou feridas após bombardeios israelenses por ar, terra e mar que se seguiram a uma ofensiva terrestre surpresa na quinta-feira (11), e que casas e duas mesquitas haviam sido destruídas.

     

     

    Autoridades de saúde disseram anteriormente que seis pessoas haviam sido mortas em ataques ao campo e cerca de 70 ficaram feridas, incluindo três jornalistas palestinos.

    Na Cidade de Gaza, as autoridades de saúde palestinas disseram que pelo menos 25 pessoas foram mortas e várias ficaram feridas em um ataque aéreo israelense a uma casa no bairro de Al-Daraj. O Ministério da Saúde de Gaza afirmou que 89 palestinos foram mortos por ataques militares israelenses em um período de 24 horas.

    As Forças de Defesa de Israel (FDI) disseram que estavam realizando “uma operação precisa baseada em inteligência” contra combatentes e sua infraestrutura no centro de Gaza.

    “No último dia, os caças da FDI atingiram mais de 60 alvos terroristas na Faixa de Gaza, incluindo postos de lançamento subterrâneos, infraestrutura militar e locais onde operavam terroristas armados”, informou um comunicado militar. “Paralelamente, a artilharia da FDI atingiu a infraestrutura terrorista na região central da Faixa de Gaza.”

    Meshaal falou em um evento em Doha, no Catar, para lamentar os membros da família do chefe do Hamas, Ismail Haniyeh, mortos em um ataque aéreo israelense em Gaza na quarta-feira (10).

    “Esta não é a rodada final”, disse ele. “É uma rodada importante no caminho da libertação da Palestina e da derrota do projeto sionista.”

    Pelo menos 33.545 palestinos já foram mortos desde o início da ofensiva israelense, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, com a maior parte dos 2,3 milhões de habitantes deslocados e grande parte do enclave destruído.

    A guerra começou quando o Hamas liderou um ataque ao sul de Israel em 7 de outubro, no qual 1.200 pessoas morreram e 253 foram feitas reféns. Cerca de 130 ainda estão sendo mantidas incomunicáveis em Gaza, segundo Israel.