Egito abre passagem em fronteira com Gaza para receber palestinos

Região passa por um dos conflitos mais violentos dos últimos anos entre israelenses e palestinos

Região de Gaza após ataque aéreo de Israel, em 12/05/2021
Região de Gaza após ataque aéreo de Israel, em 12/05/2021 Foto: Fatima Shbair/Getty Images

Da Reuters

Ouvir notícia

O Egito abriu a fronteira da cidade de Rafah, na divisa do país com a Faixa de Gaza, um dia antes do planejado para permitir a passagem de estudantes, pessoas que precisam de tratamento médico e outros casos humanitários vindos de Gaza. As informações foram dadas neste domingo (16) por duas fontes na fronteira.

Uma pessoa ligada à segurança da região disse que, por volta das 13h do horário local, três ônibus transportando 263 pessoas cruzaram a fronteira, que tinha sido fechada para um feriado regional e deveria reabrir apenas na segunda-feira.

Mesmo antes da reabertura deste domingo, o Egito estava recolhendo feridos em bombardeios israelenses na travessia. O Egito já enviou 16 ambulâncias para recolher as vítimas, a maioria delas com ferimentos graves que exigiram procedimentos cirúrgicos imediatamente.

Uma comissão médica esteve presente na fronteira para fazer a triagem das vítimas assim que elas chegassem e distribuí-las em três hospitais reservados para as emergências, de acordo com pessoas das equipes médicas.

Esta semana viu o pior surto de violência entre israelenses e palestinos em anos. O grupo militante islâmico Hamas começou a disparar foguetes contra Israel na segunda-feira, após semanas de tensões. Israel retaliou com ataques aéreos e de artilharia contra a densamente povoada Gaza.

O número de mortos em Gaza durante a noite saltou para 181, incluindo 47 crianças. Dez pessoas foram mortas em Israel, incluindo duas crianças.

Mais Recentes da CNN