Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleição presidencial na Argentina: votação é encerrada e urnas começam a ser apuradas

    Sergio Massa e Javier Milei disputam o cargo de presidente da República

    Da CNN*

    São Paulo

    Foi encerrada, às 18h deste domingo (19), a votação, em segundo turno, da eleição presidencial na Argentina.

    Desde então, começou a apuração das urnas para que se saiba quem será o próximo presidente do país: Javier Milei ou Sergio Massa.

    Pouco das 20h, ainda antes de os resultados oficiais terem sido anunciados, Massa fez um discurso em que admitiu a derrota para Milei.

    Os primeiros números foram divulgados por volta das 20h20, dando vitória a Milei por cerca de doze pontos de vantagem: 55,95% a 44,04%, com cerca de 86% das urnas apuradas.

    Segundo a Câmara Nacional Eleitoral da Argentina, 76% dos eleitores votaram no segundo turno — dois pontos percentuais a mais do que nesse horário no primeiro turno, em 22 de outubro. O número ainda é parcial e poderá ser ampliado.

    Disputa acirrada

    O governista Sergio Massa (Unión por la Patria) e o libertário Javier Milei (La Libertad Avanza) brigam pelo comando da Casa Rosada. A disputa é uma das mais acirradas dos últimos anos no país, com cenário incerto, e que deve ser decidida voto a voto.

    Opositores diretos, os candidatos representam dois projetos distintos de país, o primeiro à esquerda e o segundo à extrema direita (que o candidato define de “libertário”).

    O candidato governista

    Massa é o atual ministro da economia da Argentina. Ele assumiu o cargo em setembro de 2021 escolhido pelo presidente Alberto Fernández e por sua vice, Cristina Kirchner, com o objetivo de tirar o país da crise.

    No entanto, a inflação da Argentina fechou em 50,9% no ano de 2021 e só cresceu desde então. Em 2022, fechou em 94,8%. E, atualmente, está em 142,7% ao ano.

    Massa, que é próximo de outros governos de esquerda da América do Sul, promete resolver a situação pela esquerda, olhando para os direitos sociais, principalmente da população mais pobre.

    VÍDEO – Saiba quem é Sergio Massa

    O candidato outsider

    Foi nesse cenário que a candidatura de Milei despontou. Apesar de ser deputado federal em primeiro mandato, ele é considerado um outsider da política, já que se coloca contra a “casta” dos políticos.

    Com discursos inflamados, Milei trilhou seu caminho até o segundo turno fazendo críticas a todos os seus opositores, aos governos brasileiro e chinês, ao papa Francisco e às medidas econômicas e sociais do atual governo.

    Entre suas principais propostas, também apontadas como mais difíceis de implementação, estão o fechamento do banco central argentino e a dolarização da economia do país.

    Ele defende que direitos sociais não devem ser concedidos porque o governo ou as empresas privadas terão que pagar por eles. Além disso, se define como libertário, que acredita que o Estado não deve interferir em nada na economia e na vida das pessoas, mas deixar o mercado autorregular.

    *Com informações da CNN em Espanhol; publicado por Marina Toledo

    VÍDEO – Saiba quem é Javier Milei