EUA: Esmagador nº de votos pelo correio atrasa apuração em 4 estados-chaves

Pensilvânia, Wisconsin, Michigan e Geórgia amanheceram com milhares de votos enviados pelo correio ainda não contabilizados

Jeremy Herb e Fredreka Schouten, da CNN
04 de novembro de 2020 às 06:16
Cédulas enviadas pelo correio na Pensilvânia
Cédulas enviadas pelo correio na Pensilvânia
Foto: Rachel Wisniewski - 03.nov.2020 / Reuters

Quatro estados considerados muito disputados – Pensilvânia, Wisconsin, Michigan e Geórgia – amanheceram nesta quarta-feira (4) com milhares de votos enviados pelo correio ainda não contabilizados, deixando a corrida pela Casa Branca entre o presidente Donald Trump e o ex-vice-presidente Joe Biden em aberto.

Funcionários eleitorais em alguns estados encerraram a noite e planejaram retomar a contagem pela manhã, enquanto alguns condados na Pensilvânia não haviam nem começado a apurar esses votos até o início desta quarta. 

Assista e leia também:
Veja as principais projeções da CNN na apuração das eleições nos EUA
Eleições nos EUA: Pensilvânia é o estado mais decisivo para Trump e Biden
Trump diz que irá à Suprema Corte para interromper a contagem de votos nos EUA

Os votos pelo correio, que bateram recorde neste ano em razão da pandemia de Covid-19, devem favorecer Biden, cuja campanha encorajou os democratas a votarem antecipadamente, enquanto os votos presenciais dessa terça podem conceder vantagem a Trump.

Pressão

Trump e aliados pediram repetidamente que os resultados sejam computados rapidamente para que um vencedor fosse declarado na noite de ontem, apesar de os funcionários eleitorais tecnicamente levarem dias ou semanas para completar a apuração antes de oficializar os resultados estaduais totais. 

Mas em três estados-chave – Michigan, Pensilvânia e Wisconsin – os colaboradores não foram autorizados a começar a apurar os votos pelo correio antes do dia principal da eleição, depois que legislativos estaduais liderados por republicanos se recusaram a mudar leis para permitir uma preparação, como outras regiões.

Após Biden fazer comentários no começo desta quarta pedindo paciência, enquanto os funcionários continuam a contagem, Trump atacou a legitimidade da apuração e disse falsamente que venceu em estados onde milhões de votos ainda serão contabilizados.

No estado da Pensilvânia, onde funcionários não puderam começar a apuração de milhares de votos antecipados até terça, alguns condados tomaram as próprias decisões sobre como lidar com a situação. Na cidade da Filadélfia, foram apurados cerca de 75 mil votos pelo correio dos 350 mil entregues no fim da noite de terça, disse o comissário da cidade, Al Schmidt.

Em Luzerne, condado localizado perto de Scranton, os funcionários interromperam a contagem dos votos pelo correio na noite de terça e vão retomar na manhã desta quarta. Segundo autoridades locais, a área apurou cerca de 26 mil dos 60 mil votos.

No estado da Geórgia, cujas leis permitiram um pré-processamento, dos 134 mil votos pelo correio, foram apurados 86 mil.

Disputas na Justiça

A apuração dos votos pelo correio pode ser alvo de disputas na Justiça. Os republicanos abriram um processo contestando ao menos 1,2 mil desses votos no condado tradicionalmente democrata de Montgomery, na Pensilvânia. Um juiz federal vai verificar o caso nesta manhã.

Três republicanos que acompanhavam o processamento de votos pelo correio descreveram a um tribunal federal como eles viram estes com possíveis problemas técnicos. Também afirmaram que o condado começou a processar os votos pelo correio muito antes do permitido.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)