Polícia da Filadélfia apura suposto plano para atacar local de contagem de votos

Os policiais prenderam ao menos um homem e apreenderam uma arma e uma picape

Reuters
06 de novembro de 2020 às 07:37 | Atualizado 06 de novembro de 2020 às 08:06
Apoiadores de Joe Biden e apoiadores de Donald Trump discutem nos Estados Unidos
Apoiadores de Joe Biden e apoiadores de Donald Trump discutem nos Estados Unidos
Foto: Shannon Stapleton/Reuters
 

A polícia da Filadélfia, no estado norte-americano da Pensilvânia, disse nesta sexta-feira (6) que investiga uma suposta tentativa de ataque contra o Centro de Convenções da Pensilvânia, onde estão sendo contados os votos da acirrada eleição presidencial.

Acompanhe em tempo real a apuração de votos para presidente dos EUA

A corporação recebeu uma informação sobre uma picape Hummer com pessoas armadas saindo da Virgínia com planos para atacar o local, afirmou um representante da polícia.

Os policiais prenderam ao menos um homem e apreenderam uma arma e o veículo citado. Ninguém ficou ferido na ação e ainda não há detalhes sobre o suposto plano. Um vídeo mostra um grupo de agentes no local inspecionando a picape e prendendo o indivíduo.

Assista e leia também:
Estados Unidos registram protestos motivados pelas eleições
Por que a Geórgia está prestes a se tornar o centro do universo político nos EUA
Contestação de Trump é tentativa de incitar base de eleitores, diz especialista

Mais cedo nessa quinta-feira (5), apoiadores do republicano Donald Trump e do democrata Joe Biden participaram de protestos na Filadélfia, enquanto os funcionários eleitorais contam os milhares de votos enviados pelo correio.

Protestos

O grupo pró-Trump carregava bandeiras e placas com frases como “A votação para no dia da eleição” e “Desculpe, as urnas estão fechadas”. Já as pessoas pró-Biden dançavam em uma rua atrás de uma barricada.

Um tribunal estadual de apelação decidiu na quinta que mais observadores republicanos poderiam entrar no prédio da Filadélfia onde os votos estão sendo contados.

O Serviço Postal dos Estados Unidos (USPS, em inglês) disse que cerca de 1,7 mil votos foram identificados na Pensilvânia em locais de processamento durante duas varreduras na noite de quinta, e estavam em processo de entrega aos funcionários eleitorais.

Trump já declarou repetidas vezes, sem evidências, que os votos pelo correio são propensos a fraudes. Apesar disso, especialistas em eleições afirmam que isso é raro nas votações do EUA.