Trump demite responsável por segurança cibernética que negou fraude eleitoral

Trump anunciou pelo Twitter a demissão de Chris Krebs, diretor do Departamento de Segurança Cibernética que negou ter havido fraude nas eleições

Por Joseph Menn e Christopher Bing; da Reuters
18 de novembro de 2020 às 00:39 | Atualizado 18 de novembro de 2020 às 07:44
 


 

O presidente Donald Trump demitiu, nesta terça-feira (17), o diretor do Departamento de Segurança Cibernética e Infraestrutura Chris Krebs em uma mensagem no Twitter. Trump acusou Krebs de fazer uma declaração "altamente imprecisa" quando disse que a eleição de 3 de novembro foi segura e rejeitou as alegações republicanas de fraude.

Trump alega que a eleição foi "fraudada" e se recusa a reconhecer sua derrota ao presidente eleito Joe Biden. Sua campanha gerou uma enxurrada de ações judiciais alegando fraudes em alguns estados, embora as autoridades eleitorais de ambos os partidos tenham dito não ver evidências de irregularidades graves.

Leia também:
Após sinais de recuo, Trump volta a afirmar que venceu eleição presidencial

Para equipe de Biden, recontagem de votos na Geórgia não revela irregularidades

A agência Reuters divulgou na última semana que Krebs, que trabalhou para proteger a eleição de hackers, disse a associados que esperava ser demitido por desmentir as aleagações de fraudes de Trump.

O presidente disse no Twitter que Krebs havia dado uma declaração "altamente imprecisa" que a eleição havia sido segura quando havia "grandes impropriedades e fraudes - incluindo pessoas mortas votando, observadores de pesquisas proibidos em locais de votação" e supostos erros nas urnas eletrônicas que, pela alegação, teriam trocado votos de Trump para Biden.

Dezenas de especialistas em segurança eleitoral divulgaram na segunda-feira uma carta dizendo que as alegações são infundadas e absurdas.

O Twitter marcou as postagens de Trump com um selo de advertência, observando: "Esta alegação sobre fraude eleitoral é contestada."

Krebs chefiou o Departamento de Segurança Cibernética e Agência de Segurança de Infraestrutura (CISA) do Departamento de Segurança Interna desde seu início, há dois anos.

Ele irritou a Casa Branca por causa de um site administrado pela CISA apelidado de "Controle de Rumores", que desmascara a desinformação sobre a eleição, de acordo fontes.

O diretor executivo da CISA, Brandon Wales, deve assumir o lugar de Krebs como chefe interino da agência na quarta-feira, disse um funcionário da agência à Reuters sob condição de anonimato.

O descontentamento da Casa Branca com Krebs cresceu ao longo do ano passado, de acordo com dois ex-funcionários dos EUA, quando Trump criticou a segurança da votação por correspondência e a agência de Krebs rebateu dizendo que representava uma forma segura de votar. A votação pelo correio atingiu um recorde este ano por causa das preocupações dos eleitores sobre a pandemia do coronavírus.