Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em resposta aos EUA, Xi diz que China tem “compromisso com a paz”

    Presidente chinês prometeu ainda fornecer 2 bilhões de doses de vacinas contra a Covid-19 e doar US$ 100 milhões para países emergentes

    João de Marida CNN*

    Em São Paulo

    Ouvir notícia

    O presidente da China, Xi Jinping, afirmou nesta terça-feira (21) na Assembleia-Geral da ONU, em Nova York (EUA), que o país tem compromisso com a manutenção da paz. O líder chinês, que não compareceu presencialmente, exibiu um discurso pré-gravado.

    “A China nunca invadiu ou intimidará os outros, ou buscará hegemonia. A China é sempre um construtor de paz mundial, contribuinte para o desenvolvimento global, defensor da ordem internacional e provedor de bens públicos”, disse, referindo-se, sem citar nomes, aos EUA.

    Mais cedo, também em discurso na ONU, o presidente Joe Biden afirmou que os Estados Unidos estão prontos para proteger seus aliados do domínio de países mais fortes.

    Apesar disso, sem citar o nome da China, Biden chegou a dizer que seu país não quer uma nova Guerra Fria com o rival econômico asiático.

    Dois bilhões de vacinas

    O líder chinês fez ainda uma promessa durante seu discurso: fornecer ao mundo 2 bilhões de vacinas contra a Covid-19 até o fim deste ano.

    Ele também afirmou que a China vai doar US$ 100 milhões ao consórcio Covax Facility, que trabalha para a aquisição e distribuição de vacinas contra o coronavírus para os países emergentes. O Brasil é um dos países na lista.

    Segundo Xi Jiping, a vacinação é uma arma poderosa contra a Covid-19 e, em muitas ocasiões, destacou a “necessidade de tornar as vacinas um bem público global e garantir o acesso e o preço acessível”.

    “Uma prioridade urgente é garantir a distribuição justa e equitativa de vacinas em todo o mundo. A China continuará a apoiar e se engajar no rastreamento das origens baseadas na ciência global e se opõe firmemente a qualquer manobra politica”.

    Fim das usinas de carvão no exterior

    Ao final do discurso, o presidente chinês disse que a China vai parar de construir usinas de carvão no exterior, marcando um novo compromisso com o clima.

    A promessa marca uma mudança na política em torno de sua ampla iniciativa de infraestrutura de Belt and Road, principal rota econômica global do país, que já havia começado a reduzir suas iniciativas de carvão.

    “A China aumentará o apoio a outros países em desenvolvimento no desenvolvimento de energia verde e de baixo carbono, e não construirá novos projetos de energia movidos a carvão no exterior”, disse Xi.

    (*Com informações de Caitlin Hu e Angela Dewan, da CNN Internacional)

    Mais Recentes da CNN