Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Enchentes ameaçam dezenas de milhões enquanto sul da China tem chuvas recordes

    Dias de tempestades atingiram a província de Guangdong, uma potência econômica que abriga 127 milhões de pessoas, provocando inundações generalizadas

    Nectar GanHassan TayirMartha Zhouda CNN

    em Hong Kong

    Fortes chuvas atingiram o sul da China no fim de semana, inundando casas, ruas e terras agrícolas e ameaçando destruir a vida de dezenas de milhões de pessoas enquanto as equipes de resgate corriam para retirar os moradores presos pela subida das águas.

    Pelo menos 11 pessoas estão desaparecidas, seis das quais são da cidade de Jiangwan, perto da cidade de Shaoguan, no norte montanhoso da província, onde fortes chuvas provocaram deslizamentos de terra que feriram seis pessoas, informou a agência de notícias estatal Xinhua nesta segunda-feira (22).

    Dias de tempestades atingiram a província de Guangdong, uma potência econômica que abriga 127 milhões de pessoas, provocando inundações generalizadas que forçaram mais de 82.500 pessoas a serem realocadas, informou a mídia estatal, citando o governo local.

    Desde 16 de abril, chuvas torrenciais contínuas atingiram o Delta do Rio das Pérolas, o centro industrial da China e uma das regiões mais populosas do país, com quatro estações meteorológicas em Guangdong registrando chuvas recordes para o mês.

    A bacia do Rio das Pérolas está sujeita a enchentes anuais de abril a setembro, mas a região tem enfrentado tempestades mais intensas e inundações graves nos últimos anos, uma vez que os cientistas alertam que a crise climática amplificará as condições meteorológicas extremas, tornando-as mais mortais e mais frequentes.

    No ano passado, a China enfrentou chuvas “mais intensas e extremas” durante a época de cheias do que em anos anteriores, com 72 estações meteorológicas nacionais registrando precipitações diárias recordes e 346 estações batendo recordes mensais, de acordo com a Administração Meteorológica da China.

    Desde a semana passada, pelo menos 44 rios na bacia do Rio das Pérolas transbordaram acima da linha de alerta, ameaçando transbordar, segundo a emissora estatal CCTV.

    No rio Bei, que deságua no rio das Pérolas, as autoridades alertaram para uma inundação “uma vez por século”, que deverá atingir 5,8 metros acima do limite de alerta.

    O afluente já havia transbordado em 8 de abril, marcando a primeira chegada da estação anual de cheias desde que os registos começaram em 1998, segundo as autoridades de Guangdong.

    Imagens aéreas transmitidas pela CCTV no fim de semana mostraram aldeias inundadas por águas turvas, com apenas telhados e copas de árvores visíveis em alguns lugares.

    No condado de Guangning, cidade de Zhaoqing, imagens compartilhadas por moradores no aplicativo de vídeo curto Douyin mostram água lamacenta e marrom jorrando pelas ruas da vila e arrastando carros.

    Em Shaoguan, um homem foi visto empurrando sua scooter através de enchentes que chegam até os ombros. E na cidade de Qingyuan, imagens de redes sociais mostram fortes vendavais e chuva derrubando árvores e capotando motocicletas.

    As autoridades elevaram a resposta de emergência de controle de cheias no Delta do Rio das Pérolas para o nível 2 no domingo – o segundo mais elevado num sistema de quatro níveis.

    Muitas cidades suspenderam escolas e centenas de voos foram cancelados nas metrópoles de Guangzhou e Shenzhen.

    Mais de 80 casas desabaram ou foram gravemente danificadas, resultando numa perda económica direta de quase 140 milhões de yuans (20 milhões de dólares), informou a Xinhua.