Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Engenheiros demitidos após acusarem Elon Musk de sexismo processam SpaceX

    Profissionais buscam indenização e ordem para que empresa pare com conduta supostamente ilegal

    Entrada da área de lançamento de foguetes da SpaceX em Brownsville, no Texas, EUA
    Entrada da área de lançamento de foguetes da SpaceX em Brownsville, no Texas, EUA 12/05/2024REUTERS/Veronica Gabriela Cardenas

    Daniel Wiessnerda Reuters

    A fabricante de foguetes SpaceX e seu presidente-executivo, Elon Musk, foram processados nesta quarta-feira (12) por oito engenheiros que dizem ter sido demitidos ilegalmente por levantarem preocupações sobre suposto assédio sexual e discriminação contra mulheres.

    Quatro mulheres e quatro homens afirmam que Musk ordenou suas demissões em 2022 depois que eles circularam uma carta chamando o bilionário de “distração e constrangimento”, pedindo que os executivos repudiassem os supostos comentários de teor sexual que ele havia feito nas redes sociais.

    A ação foi apresentada no tribunal estadual de Los Angeles.

    O processo alega que a conduta de Musk promoveu uma “cultura profundamente sexista” na SpaceX, onde, ainda segundo o documento, engenheiras são rotineiramente submetidas a assédio e comentários sexistas. Além disso, suas preocupações sobre a cultura do ambiente de trabalho seriam ignoradas.

    “Essas ações tiveram o resultado previsível e real de ofender, causar sofrimento e interferir no bem-estar dos demandantes, de modo a perturbar sua tranquilidade emocional no local de trabalho”, destacaram os autores no processo.

    A SpaceX não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, mas tem negado qualquer irregularidade, pontuando que a carta de 2022 foi disruptiva e que os trabalhadores foram devidamente demitidos por violarem as políticas da empresa.

    A ação movida nesta quarta-feira acusa Musk e a SpaceX de retaliação e demissão injusta em violação à lei da Califórnia, além de acusar a empresa de assédio sexual e discriminação de gênero.

    Os autores buscam indenizações compensatórias e punitivas não especificadas e uma ordem que proíba a SpaceX de continuar com sua suposta conduta ilegal.

    Tópicos

    Tópicos