Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Entenda se Trump pode assumir presidência da Câmara dos EUA

    Nome de Trump tem sido ventilado como possível presidente da Câmara dos Representantes após queda de McCarthy

    Trump endossa candidatura do deputado Jim Jordan, de Ohio, para presidente da Câmara
    Trump endossa candidatura do deputado Jim Jordan, de Ohio, para presidente da Câmara REUTERS/Scott Morgan

    Kristen HolmesAlayna TreeneKate Sullivanda CNN

    O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump foi abordado nos últimos dias por deputados republicanos que apresentaram a ideia de ele servir como presidente da Câmara dos Representantes, mesmo que temporariamente, e ficou “intrigado” com a ideia. A informação foi confirmada à CNN por uma fonte familiarizada com os fatos.

    “Eles me perguntaram se eu aceitaria por um curto período de tempo pelo partido, até que eles cheguem a uma conclusão. Não estou fazendo isso porque quero, farei se for necessário, caso eles não possam para tomar sua decisão”, disse Trump à Fox News Digital.

    Ele disse que estava focado em sua campanha presidencial, mas que estaria aberto a servir por um “período de 30, 60 ou 90 dias”.

    Se concorresse, Trump precisaria de obter a maioria dos votos dos legisladores presentes e votantes, o que poderia ser difícil para um antigo presidente que está polarizando até mesmo entre os membros da conferência do Partido Republicano. O deputado Mike Lawler, um calouro republicano de um distrito indeciso em Nova York, disse à CNN na quinta-feira que não vê espaço para Trump na corrida para presidente da Câmara.

    Questionado por Jim Sciutto, da CNN, se queria que o ex-presidente fosse ao Capitólio, Lawler disse: “Acho que a escolha do orador será alguém que atualmente é membro do Congresso e acho que essas discussões deveriam ser entre os membros”.

    E mesmo que Trump fosse eleito, não está claro se ele conseguiria contornar as regras da conferência republicana da Câmara que determinam que qualquer membro indiciado por acusações criminais que acarretam uma pena de prisão de dois ou mais anos é obrigado a renunciar à liderança. Essas regras são autoaplicáveis ​​e podem ser alteradas — mas apenas após um orador ser eleito.

    Trump disse aos que o acompanham esta semana que, embora esteja “lisonjeado” e “honrado” por as pessoas terem levantado o seu nome, não está considerando seriamente a ideia, de acordo com duas pessoas que falaram com ele sobre a destituição de Kevin McCarthy.

    O ex-presidente está “inteiramente focado” em concorrer à presidência, disseram as duas fontes, caracterizando a sua postura pública na narrativa de que poderia ser eleito presidente da Câmara como Trump que aprecia a atenção.

    “Muita gente tem me ligado sobre a presidência da Câmara. Tudo o que posso dizer é que faremos o que for melhor para o país e para o Partido Republicano”, disse Trump aos repórteres do lado de fora do tribunal em Lower Manhattan na quarta-feira (4), durante uma pausa em seu julgamento por fraude civil.

    Os deputados republicanos Troy Nehls, do Texas, e Marjorie Taylor Greene, da Geórgia, disseram publicamente que apoiariam Trump para o papel.

    Trump manifestou apoio a Jim Jordan

    O ex-presidente Donald Trump endossou a candidatura do deputado Jim Jordan de Ohio para presidente da Câmara nesta sexta-feira (6).

    Em uma postagem feita no Truth Social pouco depois da meia-noite, Trump disse que Jordan “será um GRANDE presidente da Câmara e terá meu endosso total e completo!”

    A intervenção de Trump na corrida ocorreu depois que ele expressou abertura para servir temporariamente no cargo e, de acordo com uma fonte familiarizada com as discussões, considerou uma visita ao Capitólio para falar com os republicanos nos próximos dias, enquanto eles avaliam um novo orador.

    Não se espera que o ex-presidente vá ao Capitólio, disse uma fonte próxima a Trump na noite de quinta-feira (5).

    Os republicanos devem ouvir os candidatos a presidente da Câmara em um fórum na próxima terça-feira (10), marcando a próxima possível votação para presidente da Câmara para quarta-feira (11).

    O líder da maioria na Câmara, Steve Scalise, e Jordan anunciaram suas candidaturas, e outros ainda podem entrar na disputa, mas resta saber se a conferência poderá unir-se em torno de um sucessor viável para McCarthy.

    Enquanto isso, a vaga deixa a Câmara essencialmente paralisada.

    Veja também: Câmara dos EUA fica à deriva após saída de líder republicano

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original