Espera de Netanyahu por ligação de Biden gera questões sobre prioridades dos EUA

Benjamin Netanyahu teve relação fria com o democrata Baracak Obama durante seu governo e foi um dos principais aliados de Donald Trump

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel Foto: Gali Tibbon / Reuters (16.fev.2020)

Por Kylie Atwood, Oren Liebermann, Andrew Carey e Amir Tal, da CNN

Ouvir notícia

 

A Casa Branca insiste que o presidente Joe Biden falará “em breve” com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, mas a espera, que agora se estende por mais de três semanas, está levantando questões sobre se há um motivo para o atraso.

Várias autoridades americanas e israelenses insistem que há uma relação de longa data entre Biden e Netanyahu e contato constante em outros níveis de governo. Mas as ligações já feitas a líderes da Ásia e Europa refletem a crença do governo Biden de que confrontar a China e a Rússia, bem como reparar relações e alianças danificadas, estão entre suas principais prioridades no início do governo, segundo disseram fontes próximas da Casa Branca.

 

Embora Israel ainda seja um aliado importante, uma fonte familiarizada com o pensamento da Casa Branca disse que há algum “senso de recompensa” em fazer Netanyahu esperar por uma ligação.

O tratamento frio do líder israelense ao ex-presidente Barack Obama, seu estreito alinhamento com o ex-presidente Donald Trump e o Partido Republicano, bem como o tempo que levou para parabenizar Biden por sua vitória, não são sem significado, disse a fonte.

Ben Rhodes, o vice-conselheiro de segurança nacional de Obama para comunicações estratégicas, ecoou esse sentimento em um tuíte, dizendo: “que surpresa que, depois de Bibi (apelido de Netanyahu) ter passado anos minando implacavelmente a administração Obama-Biden, ele não esteja no topo da lista de chamadas.”

Biden e Netanyahu falaram pela última vez em 17 de novembro, quando o líder israelense parabenizou o então presidente eleito dos EUA por sua vitória. A ligação foi digna de nota porque Netanyahu lutou para encontrar as palavras certas para parabenizar Biden uma semana antes, falando sobre sua conexão pessoal entre os dois sem chamar o democrata de presidente eleito.

Publicamente, no entanto, a Casa Branca disse que o presidente está fazendo ligações para outros líderes da Ásia e em breve entrará em contato com os do Oriente Médio.

Biden fez onde ligações para líderes estrangeiros, além de uma ao secretário-geral da Otan.

No caso de Israel, já houve contato de membros da segurança nacional israelense com membros do governo.

O secretário de Estado, Antony Blinken, falou duas vezes com o ministro das Relações Exteriores, Gabi Ashkenazi. O secretário de Defesa Lloyd Austin conversou com o ministro da Defesa Benny Gantz e o conselheiro de Segurança Nacional Jake Sullivan fez contato com seu homólogo israelense, Meir Ben Shabbat.

Há uma comunicação constante entre os governos, disseram várias autoridades familiarizadas com as relações EUA-Israel, apesar do presidente americano ainda não ter telefonado ao primeiro-ministro do país.

O fato de Biden ainda não ter ligado para Netanyahu não é motivo de preocupação, disseram cinco autoridades, apontando para as inúmeras outras conversas entre os governos.

Uma fonte com conhecimento do relacionamento afirma que a falta de um telefonema não afetou a dinâmica entre os dois países. Esse não é um ponto de atrito durante as conversas em curso, segundo a fonte. “Isso faz parte de uma relação normal e normalizada”, acrescentou.

A porta-voz da Casa Branca Jen Psaki disse a repórteres em coletiva na quinta-feira que “o presidente espera falar com o primeiro-ministro Netanyahu. Ele é obviamente alguém com quem tem um relacionamento de longa data e, obviamente, há um relacionamento importante dos Estados Unidos com Israel na frente de segurança e como um parceiro fundamental na região”.

“Ele vai falar com ele em breve”, acrescentou Psaki, mas se recusou a fornecer uma data ou hora específica em que eles falariam.

“Presumo que ele vai me ligar”

Em uma rara entrevista coletiva na segunda-feira, Netanyahu minimizou o atraso. “[O presidente Biden] chama os líderes na ordem que achar aceitável, América do Norte, depois Europa”, disse o primeiro-ministro.

“Ele ainda não chegou ao Oriente Médio. Presumo que ele vai me ligar. Acredite em mim, não tenho dúvidas sobre isso.”

Netanyahu prosseguiu dizendo que a aliança entre Israel e os Estados Unidos é forte, embora “isso não signifique que concordaremos em tudo”.

Mais Recentes da CNN