Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA alertam americanos para não viajarem ao Líbano

    Comunicado registou o fato de “grandes manifestações eclodirem na sequência da recente violência em Israel e Gaza”

    Chama e fumaça no Líbano vistas do norte de Israel
    Chama e fumaça no Líbano vistas do norte de Israel 10/10/2023 REUTERS/Ammar Awad

    Jennifer Hanslerda CNN

    O Departamento de Estado dos EUA emitiu um comunicado de viagem na terça-feira (17) alertando os americanos para não viajarem para o Líbano.

    O departamento permitirá que familiares e alguns funcionários do governo dos EUA da embaixada em Beirute deixem voluntariamente o país “devido à situação de segurança imprevisível”.

    O nível de aconselhamento de viagens para o Líbano foi elevado para o “Nível 4: Não Viaje” na terça-feira (17) “devido à situação de segurança imprevisível relacionada com trocas de foguetes, mísseis e artilharia entre Israel e o Hezbollah ou outras facções militantes armadas”, de acordo com um comunicado atualizado.

    O comunicado registou o fato de “grandes manifestações eclodirem na sequência da recente violência em Israel e Gaza”.

    “Os cidadãos devem evitar manifestações e ter cautela se estiverem nas proximidades de grandes reuniões ou protestos, pois alguns deles se tornaram violentos”, dizia o comunicado. “Os manifestantes bloquearam estradas principais, incluindo vias entre o centro de Beirute e a área onde está localizada a Embaixada dos EUA, e entre Beirute e o Aeroporto Internacional Rafic Hariri de Beirute.”

    O comunicado alertou que “os EUA os cidadãos que optam por viajar para o Líbano devem estar cientes de que os funcionários consulares da Embaixada dos EUA nem sempre podem viajar para ajudá-los.”

    “O Departamento de Estado considera a ameaça ao pessoal do governo dos EUA em Beirute suficientemente grave para exigir que vivam e trabalhem sob estrita segurança. As políticas de segurança interna da Embaixada dos EUA podem ser ajustadas a qualquer momento e sem aviso prévio”, dizia o comunicado.

    Na semana passada, o Departamento de Estado elevou o aviso de viagens para Israel para o “Nível 4: Não Viaje”.