Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA registram 11 tiroteios e 8 mortos no mesmo fim de semana dias após ataque no Maine

    Pelo menos 580 tiroteios em massa foram registrados em 2023 em todo o país, de acordo com o Gun Violence Archive dos EUA

    Policiais no local do tiroteio em Maine.
    Policiais no local do tiroteio em Maine. Reprodução/WGME

    Nouran Salahiehda CNN

    Poucos dias depois do tiroteio em massa mais mortal dos Estados Unidos neste ano ter abalado o Maine, o país registrou 11 tiroteios durante o fim de semana de Halloween. Pelo menos oito pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas em várias cidades.

    Na semana passada, o tiroteio no Maine que matou 18 pessoas e deixou 13 pessoas feridas em uma pista de boliche e um restaurante na cidade de Lewiston foi seguido por uma intensa busca pelo atirador que durou 48 horas pelo atirador. As escolas foram fechadas e os moradores se escondiam atrás de portas trancadas com medo.

    A polícia encontrou o corpo do atirador, sem vida, dentro de um trailer de uma instalação de reciclagem na sexta-feira (27).

    O ataque foi um dentre pelo menos 580 tiroteios em massa – tiroteios nos quais quatro ou mais pessoas são baleadas, excluindo o atirador – que foram registrados este ano em todo o país, de acordo com o Gun Violence Archive dos EUA.

    Somente neste fim de semana ocorreram 11 desses tiroteios. 

    Em Indianápolis, uma festa de Halloween terminou com uma pessoa morta e outras nove feridas após um tiroteio na manhã de domingo (29), segundo a polícia local.

    Uma briga entre dois grupos em Tampa, na Flórida, culminou em um tiroteio enquanto centenas de pessoas saíam dos bares e casas noturnas, pouco antes das 3h da manhã de domingo, disseram as autoridades.

    O tiroteio deixou duas pessoas mortas e feriu outras 16, com idades entre 18 e 27 anos, segundo as autoridades. Um suspeito de 22 anos foi preso e acusado de homicídio de segundo grau, disse a polícia de Tampa.

    “Vidas foram perdidas e outras mudaram para sempre. Para qual finalidade?”, disse a prefeita de Tampa, Jane Castor, em um comunicado no X, antigo Twitter. “Decisões erradas tomadas numa fração de segundo e a proliferação de armas prontamente disponíveis são responsáveis ​​por estes incidentes quase diários.”

    Segundo a polícia, pelo menos 15 pessoas também foram baleadas na manhã de domingo no lado oeste de Chicago, em um evento que a mídia americana descreveu como uma grande festa de Halloween.

    Os policiais do Departamento de Polícia de Chicago disseram ter visto alguém “atirando no local onde estava ocorrendo um evento”. A pessoa fugiu, mas foi detida pelos policiais a uma curta distância, disseram as autoridades.

    Em Lake Charles, na Louisiana, uma festa em casa no fim de semana terminou com seis pessoas baleadas após o início de uma briga, disseram as autoridades. Os feridos tinham todos entre 15 e 19 anos, e um jovem de 17 anos foi preso por conta do ocorrido, segundo o Gabinete do Xerife da Paróquia de Calcasieu.

    “Esta foi uma festa cheia de adolescentes. Mais uma vez, temos que descobrir como essas armas estão chegando às mãos de nossos filhos”, disse o xerife Tony Mancuso em comunicado.

    A violência armada deste fim de semana acontece em meio a tiroteios frequentes nos EUA.

    O restaurante e a pista de boliche no Maine se juntam a uma lista de lugares em todo o país que se tornaram palco de tiroteios em massa neste ano – incluindo uma escola de Nashville, um banco em Louisville, um salão de dança na Califórnia e um shopping center no Texas.

    Quase 1 em cada 5 adultos dos EUA relata ter um membro da família morto por arma de fogo, inclusive por homicídio e suicídio, de acordo com uma pesquisa publicada em abril pela Kaiser Family Foundation.

    Um número próximo de adultos foi pessoalmente ameaçado com uma arma de fogo; e cerca de 1 em cada 6 já presenciou ferimentos causados por um tiroteio, diz a pesquisa.

    Depois que o suspeito do tiroteio em massa no Maine foi encontrado morto na sexta-feira, o presidente Joe Biden reiterou seu apelo ao Congresso para abordar a violência armada.

    “Os americanos não deveriam ter que viver assim”, disse ele no comunicado. “Mais uma vez apelo aos republicanos no Congresso para que cumpram a sua obrigação de manter o povo americano seguro. Até esse dia chegar, continuarei a fazer tudo o que estiver ao meu alcance para acabar com esta epidemia de violência armada. A comunidade de Lewiston – e todos os americanos – não merecem menos.”

    Criança perde ambos os pais em tiroteio

    Uma menina de 13 anos perdeu ambos os pais no fim de semana depois que todos os três membros da família foram baleados após uma discussão em uma festa em uma casa em San Antonio, disseram as autoridades.

    Os policiais responderam a um chamado sobre o tiroteio por volta das 21h40 de sábado (28) e descobriram que cinco pessoas haviam sido baleadas, disse o Departamento de Polícia de San Antonio à CNN no domingo.

    Um homem de 20 anos estava no jardim da frente da festa e sacou uma arma durante uma discussão, atirando na mãe, no pai e na filha de 13 anos. O pai então sacou uma arma e atirou de volta contra o homem, disse o departamento de polícia.

    O pai, de 40 anos, e a mãe, de 35, morreram no local. A filha deles foi levada a um hospital sem ferimentos fatais, segundo a polícia de San Antonio.

    O homem que atirou primeiro e seu parente também foram baleados e transferidos para um hospital sem ferimentos fatais, disse a polícia.

    Naquela mesma noite, a cerca de 640 quilômetros de distância, em Texarkana, no Texas, três pessoas morreram e outras três ficaram feridas em um tiroteio que se iniciou com uma “briga” entre dois homens em uma festa nos fundos de uma empresa, de acordo com o Departamento de Polícia do Texas.

    Um homem morreu no local, de acordo com o comunicado, e uma mulher e outro homem morreram após serem transferidos para um hospital da região.

    As autoridades ainda estavam trabalhando para “determinar exatamente o que aconteceu e quem estava envolvido”, disse a polícia em comunicado à imprensa.

    Em Atlanta, um tiroteio perto do campus da Universidade do estado da Georgia na manhã de domingo deixou quatro feridos, segundo a polícia de Atlanta. Uma grande multidão se reuniu na área antes do tiroteio, disse a polícia.

    Dois dos feridos eram estudantes, disse o presidente da Universidade, M. Brian Blake, em um comunicado.

    Investigação do tiroteio no Maine

    As autoridades ainda estão trabalhando para descobrir o que motivou o ataque no Maine e investigando a história do suspeito que foi encontrado morto, Robert Card, de 40 anos.

    Os ataques começaram pouco antes das 19h de quarta-feira (25), com o atirador abrindo fogo no Just-In-Time Recreation, dizem as autoridades.

    Cerca de 12 minutos após as primeiras ligações vindas da pista de boliche, as autoridades receberam várias ligações para o 911 sobre um atirador no Schemengees Bar and Grille, um restaurante a cerca de 6 quilômetros da pista de boliche.

    Enquanto os paramédicos cuidavam dos feridos, os policiais iniciaram uma caçada de dois dias para encontrar o atirador, que terminaria após o corpo de Card ser encontrado dentro de um trailer em um estacionamento lotado da Maine Recycling Corporation, disse o comissário de Segurança Pública do Maine, Michael Sauschuck, em uma entrevista coletiva no sábado.

    Robert Card havia sido demitido recentemente do centro de reciclagem, disse uma fonte policial à CNN.

    Duas armas de fogo foram encontradas ao lado do corpo de Card, junto com um bilhete para sua família, disse Sauschuck.

    “É um bilhete para um familiar e diz que este é o código de acesso do meu telefone, e estes são os números da minha conta bancária”, disse Sauschuck na entrevista coletiva no sábado. “Eu não descreveria isso como uma nota de suicídio explícita, mas o tom e o teor eram de que o indivíduo não estaria por perto e queria ter certeza de que esse familiar teria acesso a este telefone e a tudo o que há nele.”

    Os investigadores estão analisando as redes sociais de Card enquanto investigam o motivo do ataque e também trabalham para estabelecer um cronograma até o momento em que ele foi encontrado morto, disseram fontes policiais à CNN na sexta-feira.

    Também está sendo analisada uma visita da polícia à casa de Card semanas antes do tiroteio em massa.

    Autoridades policiais dizem que Card, reservista do Exército dos EUA e instrutor certificado de armas de fogo, teve treinamento extensivo, incluindo navegação terrestre e sobre armas de fogo.

    A Guarda Nacional do Maine pediu à polícia local que fosse verificar como estava o atirador depois que um soldado ficou preocupado que ele “se descontrolasse e cometesse um tiroteio em massa”, de acordo com informações compartilhadas com a CNN.

    Funcionários dos gabinetes do xerife do condado de Sagadahoc e do condado de Kennebec responderam ao pedido e tentaram entrar em contato com o homem em 16 de setembro, menos de seis semanas antes do massacre de quarta-feira, segundo os documentos.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original