Europa teve verão mais quente já registrado, dizem cientistas da União Europeia

Registro marca tendência de longo prazo do aquecimento global

Pessoas com máscara de proteção sentam em mesas de quiosque no Parque del Retiro, em Madrid
Pessoas com máscara de proteção sentam em mesas de quiosque no Parque del Retiro, em Madrid Foto: Sergio Perez - 25.mai.2020/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

A Europa teve neste ano o verão mais quente já registrado, embora por uma pequena margem sobre as das maiores temperaturas anteriores para o período entre junho e agosto, afirmaram cientistas da União Europeia nesta terça-feira (07).

O serviço Copernicus de Mudanças Climáticas da UE disse que a temperatura média do ar atmosférico entre junho e agosto foi próxima de 1 grau Celsius acima da média do período entre 1991 e 2020, tornando-a a mais quente em sua base de dados.

Os verões mais quentes anteriormente registrados, em 2010 e 2018, foram 0,1 grau Celsius menos quentes.

A temperatura do verão de 2021 marca o último registro de uma tendência de longo prazo de aquecimento global enquanto as emissões de gases do efeito estufa alteram o clima do planeta.

Os registros do Copernicus são desde o ano de 1950, mas são cruzados com outros bancos de dados que remetem até meados do século 19.

Em nota, o serviço disse que, globalmente, o mês de agosto de 2021 foi, ao lado de agosto de 2017, o terceiro mais quente á registrado a pouco mais de 0,3 grau Celsius mais quente que a média do período entre 1991 e 2020.

Mais Recentes da CNN