Prazo para lidarmos com mudanças climáticas acabou, diz Biden após furacão Ida

Com incêndios florestais, furacões e inundações, presidente apontou que várias partes dos EUA estão sendo afetadas por alterações no clima

Presidente dos EUA, Joe Biden, visita área afetada por enchentes em Nova Jersey
Presidente dos EUA, Joe Biden, visita área afetada por enchentes em Nova Jersey REUTERS/Elizabeth Frantz (07/09/2021)

Por Nandita Bose, da Reuters

Ouvir notícia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, destacou a devastação causada pelas mudanças climáticas durante visita a uma região atingida por inundações em Nova Jersey nesta terça-feira, colocando o foco em prioridades internas após semanas de atenção voltada para a caótica retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão.

Biden, um democrata que tornou a luta contra o aquecimento global uma de suas principais prioridades políticas, tem ressaltado os prejuízos provocados pelo furacão Ida para pressionar pela necessidade de investimentos em infraestrutura e atenuação das mudanças climáticas.

“Por décadas, os cientistas alertaram sobre as temperaturas extremas e as mudanças climáticas que já estavam acontecendo, e estamos passando por elas agora, não temos mais tempo”, disse Biden, durante um pronunciamento a líderes locais e estaduais em Hillsborough Township, em Nova Jersey.

Com incêndios florestais, furacões e inundações, Biden apontou que cada parte dos Estados Unidos está sendo afetada por condições climáticas extremas.

“Não podemos retroceder muito, mas podemos prevenir que fique pior”, disse Biden. “Estamos todos juntos nisso e precisamos nos certificar de que não deixaremos nenhuma comunidade para trás”.

Na sexta-feira, Biden visitou a Louisiana, prometendo auxílio federal e exigindo unidade nacional. O furacão Ida devastou partes do litoral dos EUA no Golfo do México e provocou inundações ainda mais mortais no Nordeste do país.

Nesta terça-feira, ele visitou Nova Jersey e uma região atingida pela tempestade no bairro do Queens, na cidade de Nova York.

 

Mais Recentes da CNN