Ex-policial se ajoelhou sobre George Floyd por mais de 9 minutos, diz promotor

Nova estimativa é 43 segundos maior do que a anterior, de 8 minutos e 46 segundos – número que se tornou um símbolo da brutalidade policial

Eric Levenson, da CNN

Ouvir notícia

O ex-policial de Minneapolis Derek Chauvin ajoelhou-se sobre George Floyd por 9 minutos e 29 segundos, disseram os promotores na segunda-feira (29), corrigindo a estimativa anterior de 8m46s que se tornou um símbolo da brutalidade policial.

Nas declarações de abertura do julgamento criminal de Chauvin, o promotor Jerry Blackwell enfatizou repetidamente o novo tempo de 9m29s, dizendo aos jurados que eles eram “os três números mais importantes neste caso”.

Ele dividiu o tempo do ajoelhamento de Chauvin em três seções: 4 minutos e 45 segundos enquanto Floyd gritava por ajuda, 53 segundos quando Floyd se debatia devido a convulsões e 3 minutos e 51 segundos nos quais Floyd não tinha mais reações.

A defesa de Chauvin também aceitou o novo tempo para apoiar seus próprios argumentos. “A evidência é muito maior do que 9 minutos e 29 segundos”, disse o advogado Eric Nelson em sua abertura, observando as muitas entrevistas e documentos que ele disse que provariam que Chauvin não é culpado.

A diferença de 43 segundos entre 8m46s e 9m29s tem pouco impacto no caso em si, mas o número 8m46s assumiu um poder próprio desde que Floyd morreu sob o joelho de Chauvin em 25 de maio de 2020.

Ilustração do julgamento do ex-policial Derek Chauvin
Ilustração do julgamento do ex-policial Derek Chauvin, que se ajoelhou sobre George Floyd por 9m29s
Foto: Jane Rosenberg – 29.mar.2021/Reuters

 

Os manifestantes, incluindo membros democratas do Congresso, mantiveram momentos de silêncio por 8 minutos e 46 segundos, ajoelhando-se e simulando mortes. O comediante Dave Chappelle lançou um especial de standup sobre a violência policial e o racismo anti-negro intitulado simplesmente “8:46”. O número tem sua própria página na Wikipedia.

Poucos minutos antes do início do julgamento na segunda-feira, membros da família de Floyd e aliados, incluindo o reverendo Al Sharpton e o advogado Benjamin Crump, ajoelharam-se por 8 minutos e 46 segundos para relembrar sua morte.

O Gabinete do Procurador do Condado de Hennepin já corrigiu esse tempo várias vezes. O tempo de 8m46s inicialmente foi incluído em uma denúncia criminal contra Chauvin.

Esse número foi baseado em um vídeo de uma testemunha da morte de Floyd que se tornou viral e levou à indignação do público. O vídeo, que tem mais de 10 minutos de duração ao todo, começa com Chauvin já sobre o pescoço do Floyd, então não ficou claro por quanto tempo do início do vídeo ele já estava ajoelhado sobre Floyd.

Em junho de 2020, semanas após a acusação inicial, o gabinete do Procurador da Comarca de Hennepin disse à CNN que Chauvin na verdade manteve o joelho sobre Floyd por 7 minutos e 46 segundos.

“Esses tipos de questões técnicas podem ser tratadas em futuras alterações à queixa criminal se outras razões tornarem necessário alterar a denúncia entre agora e quaisquer julgamentos”, disse o condado em um comunicado, acrescentando que o erro “não fez diferença” no decisão de acusar o ex-policial.

As imagens das câmeras corporais dos policiais divulgadas nos meses posteriores levaram ao tempo de mais de 9 minutos.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN