Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Explosão paralisa ponte Crimeia-Rússia, em golpe para esforço de guerra de Putin

    Causa exata da explosão na ponte mais longa da Europa não é clara; autoridades russas disseram que um caminhão de combustível explodiu, partes da estrada parecem ter desmoronado

    Hannah RitchieTim ListerJosh Penningtonda CNN

    Em um grande golpe para o presidente russo, Vladimir Putin, uma grande explosão danificou gravemente a única ponte que liga a península da Crimeia anexada ao continente russo, paralisando uma importante rota de abastecimento para a vacilante guerra de Moscou na Ucrânia.

    A explosão no início deste sábado (8) causou o colapso de partes da ponte rodoviária e ferroviária do Estreito de Kerch – inaugurada pelo próprio Putin em 2018 –, como mostraram imagens e vídeos da cena.

    A causa exata da explosão na ponte mais longa da Europa não é clara. Autoridades russas disseram que um caminhão de combustível explodiu, mas partes da estrada que atravessavam a ponte em direção à Crimeia parecem ter desmoronado. Um incêndio envolveu um trem de caminhões de combustível em uma parte separada da ponte.

    Putin ordenou imediatamente uma “comissão do governo” para examinar a “emergência” da Ponte Kerch na Crimeia, informou a mídia estatal russa TASS. Os chefes do Ministério de Situações de Emergência da Rússia e do Ministério dos Transportes estão agora no local do incidente, de acordo com a TASS.

    Os danos na ponte parecem ser graves, tendo sido paralisada a parte da ponte que transporta o tráfego rodoviário no sentido Oeste em pelo menos dois lugares. Os impactos à ligação ferroviária não são claros, mas vários vagões – aparentemente carregando combustível – pegaram fogo.

    A ponte foi construída depois que a Rússia anexou a península ucraniana em 2014, em um movimento condenado pela comunidade internacional. É uma artéria crítica para abastecer a Crimeia com suas necessidades diárias e suprimentos para os militares. Nos últimos meses, dezenas de comboios militares russos usaram a ponte, transportando veículos, blindados e combustível.

    Se os militares russos não puderem usar a ponte, suas linhas de abastecimento para as forças no Sul da Ucrânia se tornariam mais tênues, especialmente quando combinadas com os avanços ucranianos para o Sul na região de Kherson, ao Norte da Crimeia.

    A Rússia usou as ferrovias da Crimeia para transportar suprimentos para as forças em Kherson, e vários centros ferroviários na Crimeia e em Kherson foram atacados por foguetes ucranianos de longo alcance.

    Sergey Aksenov, o chefe da Crimeia nomeado pelos russos, confirmou que “dois vãos do leito da estrada da parte [da ponte] de Krasnodar a Kerch desmoronaram” após uma grande explosão.

    Aksenov disse que “ao mesmo tempo, os tanques de combustível pegaram fogo. Agora duas locomotivas estão se aproximando” para remover o trem em chamas, disse ele. Vídeo e imagens da ponte mostram vários caminhões de combustível carbonizados.

    “Assim que o fogo for extinto, será possível avaliar a extensão dos danos à ponte e aos pilares, e será possível falar sobre o momento da restauração do tráfego”, disse Aksenov.

    Imagens da ponte Kerch postadas nas redes sociais parecem mostrar que uma parte da estrada e da ponte ferroviária caiu nas águas abaixo. Chamas são vistas queimando de vagões acima. Ainda não está claro se houve vítimas.

    O tanker estava localizado na ponte de 19 quilômetros de extensão – estrategicamente importante porque liga a região russa de Krasnodar à península da Crimeia, que foi anexada pela Rússia da Ucrânia em 2014.

    A ponte atravessa o Estreito de Kerch, que liga o Mar Negro ao Mar de Azov, onde ficam os principais portos ucranianos, incluindo Mariupol. Para a Rússia, a ponte simboliza a “reunificação” física da Crimeia com o continente russo. A ponte transporta grande parte das necessidades da Crimeia – como combustível e mercadorias – e tem sido usada regularmente para fornecer armas e combustível às forças russas.

    Não foram anunciados mais detalhes sobre o momento ou o escopo da recuperação da ponte. Putin “recebeu relatórios do [primeiro-ministro russo] Mikhail Mishustin, [vice-primeiro-ministro russo] Marat Khusnullin, dos chefes do Ministério de Situações de Emergência, do Ministério dos Transportes e dos chefes das agências de aplicação da lei em conexão com a emergência na ponte da Crimeia”, informou a TASS, citando o secretário de imprensa de Putin, Dmitry Peskov.

    A mídia estatal russa RIA Novosti disse que “ainda não há projeções para o momento da restauração da ponte da Crimeia”, citando também Peskov.

    O trabalho está “em andamento para extinguir o fogo”, disse o assessor do chefe da administração russa da Crimeia ocupada, Oleg Kryunchkov, em um post do Telegram, acrescentando que “os arcos de transporte da ponte não foram danificados”.

    Um oficial da Crimeia culpou “vândalos ucranianos” pela explosão na ponte de Kerch em um post no Telegram.

    “Os vândalos ucranianos de alguma forma conseguiram colocar suas patas sangrentas na ponte da Crimeia. E agora eles têm algo para se orgulhar, em 23 anos de sua atividade econômica, eles não conseguiram construir nada digno de interesse na Crimeia. Mas eles conseguiram danificar o leito da ponte russa”, disse o presidente do Conselho de Estado da República da Crimeia, Vladimir Konstantinov.

    “Essa é toda a essência do regime de Kiev e do Estado ucraniano… Claro, as causas do acidente serão investigadas e os danos serão reparados rapidamente”, acrescentou.

    A CNN não pode verificar de forma independente a afirmação de Konstantinov.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original