Filha ‘secreta’ do ex-rei da Bélgica ganha direito de ser chamada de princesa

Tribunal de Bruxelas decidiu que Delphine Boël, filha biológica do rei Albert II, tem os mesmos direitos e títulos reais dos outros três filhos de seu pai

Delphine Boël ganhou na Justiça o direito de ser chamada de princesa da Bélgica
Delphine Boël ganhou na Justiça o direito de ser chamada de princesa da Bélgica Foto: Reprodução/ delphine_boel/ Instagram

James Frater e Ivana Kottasová, da CNN

Ouvir notícia

A filha que o ex-rei da Bélgica, Albert II, teve fora do casamento ganhou uma batalha legal sobre seus direitos a um título real e agora será oficialmente conhecida como princesa da Bélgica.

O Tribunal de Recurso de Bruxelas decidiu que Delphine Boël, filha biológica do rei, tem os mesmos direitos e títulos reais dos outros três filhos de seu pai.

Boël, uma escultora de 52 anos, abriu um processo em 2013 para que o ex-rei, hoje com 86 anos, fosse reconhecido como seu pai. Segundo ela, o rei teve um caso com sua mãe, Sibylle de Selys Longchamps, resultando em seu nascimento em 1968.

O rei contestou as reivindicações por sete anos e não quis fazer um teste de paternidade por DNA quando ordenado pelo Tribunal de Justiça de Bruxelas em outubro de 2018.

Em maio de 2019, o tribunal decidiu que o ex-rei receberia uma multa diária de € 5 mil (R$ 33 mil) até fazer o teste – o que ele aceitou no fim daquele mês. Em janeiro, Albert II reconheceu que era, de fato, o pai biológico de Boël.

Assista e leia também:
Novo atlas dos países extintos explora lugares que saíram do mapa
Tragédia de Heysel, que mudou o futebol europeu, completa 35 anos
Empresa belga personaliza máscaras com rosto de pessoas

Boël agora mudará seu sobrenome para o de seu pai, Saxe Cobourg. Seus filhos também se tornarão príncipes e princesas da Bélgica.

“Ela está muito satisfeita com a decisão do tribunal, que põe fim a um longo processo que é particularmente doloroso para ela e sua família”, declarou o advogado da nova princesa, Yves-Henri Leleu, em comunicado à CNN.

“Uma vitória legal nunca substituirá o amor de um pai, mas oferece um senso de justiça”, acrescentou.

Albert II casou-se com Paola Ruffo di Calabria, mais tarde rainha Paola da Bélgica, em 1959 e tornou-se rei em 1993. Em 2013, aos 79 anos, Albert II abdicou do trono em favor de seu filho Philippe, alegando preocupação com sua idade e saúde.

Rumores sobre uma criança nascida de um caso extraconjugal começaram a circular poucos anos após sua ascensão ao trono, alimentados por alegações publicadas em uma biografia de 1999 sobre a rainha Paola.

O escândalo, e o nome de Boël como a então suposta filha, apareceram nas capas de jornais. Ela começou a falar abertamente sobre o caso para a mídia nos anos seguintes, apesar das repetidas negações de paternidade do rei.

(Texto traduzido, leia o original em inglês)

Tópicos

Mais Recentes da CNN