Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Filipinas criticam manobra a curta distância de navio chinês

    Incidente ocorreu no Mar da China Meridional; não se sabe se as Filipinas apresentaram manifestação diplomática pelo ocorrido

    Navio da Guarda Costeira chinesa navega perto de um navio da Guarda Costeira das Filipinas durante sua patrulha em Bajo de Masinloc, 124 milhas náuticas a oeste da província de Zambales, noroeste das Filipinas, em 2 de março de 2022.
    Navio da Guarda Costeira chinesa navega perto de um navio da Guarda Costeira das Filipinas durante sua patrulha em Bajo de Masinloc, 124 milhas náuticas a oeste da província de Zambales, noroeste das Filipinas, em 2 de março de 2022. Imagem fornecida pela Guarda Costeira das Filipinas

    Da Reuters*da Reuters

    A Guarda Costeira das Filipinas (PCG) relatou no domingo um incidente recente de “manobras de curta distância” por um navio da Guarda Costeira Chinesa (CCG) no disputado Mar da China Meridional que “restringiu” o movimento de um navio filipino navegando nas proximidades.

    O incidente de 2 de março ocorreu durante as operações de patrulha marítima filipina em torno do Scarborough Shoal, localmente conhecido como Bajo de Masinloc, disse a PCG em um comunicado à imprensa.

    Ainda não está claro se as Filipinas apresentaram uma manifestação diplomática pelo incidente. A PCG disse que teve que esperar o sinal de partida da Força-Tarefa Nacional do país para o Mar das Filipinas Ocidental antes de tornar o incidente público.

    O incidente envolveu um navio da Guarda Costeira chinesa com proa número 3305 que realizou manobras de curta distância em uma área de aproximadamente 19,2 metros na direção do navio filipino BRP Malabrigo, disse a PCG.

    “Isso restringiu o espaço de manobra da BRP Malabrigo – uma clara violação do Regulamento Internacional para Prevenção de Colisões no Mar (COLREGS) de 1972”, disse a PCG.

    A Guarda Costeira das Filipinas pediu ao Departamento de Relações Exteriores do país para ajudar a resolver a questão por meio de “abordagens pacíficas e baseadas em regras”, segundo o comandante da PCG, Almirante Artemio Abu.

    O Departamento de Relações Exteriores e a Embaixada da China em Manila não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

    A China reivindica a maior parte das águas dentro da chamada Linha Nine Dash no Mar da China Meridional, que também é contestada por Brunei, Malásia, Filipinas, Taiwan e Vietnã.

    Abu disse que foi o quarto incidente relatado de manobras de curta distância envolvendo a Guarda Costeira chinesa e embarcações filipinas no Scarborough Shoal desde maio do ano passado.

    Apesar dos riscos, Abu disse que a implantação de ativos e pessoal filipino em águas dentro das zonas econômicas exclusivas do país continuará.

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original