Fóssil de águia rara de 25 milhões de anos é encontrado na Austrália

Ave é uma das mais antigas águias de rapina do mundo e foi encontrada em ótimo estado de conservação

Imagem feita para simular aparência da Archaehierax sylvestris, uma das mais antigas águias do mundo
Imagem feita para simular aparência da Archaehierax sylvestris, uma das mais antigas águias do mundo Reprodução/CNN

Rhea Mogulda CNN

Ouvir notícia

Cientistas confirmaram a descoberta de um fóssil quase completo de uma águia de 25 milhões de anos, que sobrevoou a Austrália do Sul a procura de coalas – uma descoberta incrivelmente rara por causa de quão bem preservada ela está, dizem os especialistas.

A espécie recém descoberta, Archaehierax sylvestris, é uma das mais antigas águias de rapina do mundo, de acordo com um estudo publicado na segunda-feira (27) na revista “Historical Biology”.

Paleontólogos da Universidade Flinders de Adelaide desenterraram o fóssil em março de 2016 em uma remota área de gado do outback durante uma viagem de pesquisa no Lago Pinpa, no sul da Austrália.

Archaehierax é conhecida como a maior águia que viveu na Austrália durante o período Oligocênico, que data de cerca de 33,9 milhões a 23 milhões de anos atrás, disse o estudo.

Ela era menor e mais delgada que a águia de cauda em cunha, a maior ave de rapina da Austrália, de acordo com o Western Australian Museum.

Com pés de quase 15 centímetros de comprimento, a águia teria tido a capacidade de agarrar grandes presas.

Os cientistas disseram que ela teria caçado uma espécie extinta de coala, que era aproximadamente do mesmo tamanho dos que estão vivos hoje, bem como gambás e outros animais nas árvores, diz o estudo.

“Os maiores predadores marsupiais da época tinham aproximadamente o tamanho de um cão pequeno ou de um gato grande, então Archaehierax estava certamente no topo da cadeia”, disse Ellen Mather, autora do estudo e candidata ao pós-doutorado da Universidade de Flinders, em uma declaração.

O esqueleto fóssil parcial é composto de 63 ossos, fazendo do Archaehierax sylvestris uma das espécies mais bem preservadas encontradas ao redor do Lago Pinpa.

A completude do esqueleto permitiu aos pesquisadores determinar onde ele cabe na árvore genealógica da águia, disse Mather.

“Ela mostra uma gama de características diferente de qualquer outra vista entre os falcões e águias modernas”, disse ela. “Ela parece ter sido seu próprio ramo único na família da águia”.

Os ossos fossilizados revelam que as asas da espécie eram curtas para seu tamanho, o que a tornou bastante ágil e lhes permitiu esquivar-se das árvores enquanto caçava. Suas patas eram relativamente longas, o que lhe teria dado um alcance considerável.

Os cientistas não disseram por que ou quando a espécie foi extinta.

O ambiente australiano durante o Oligoceno era muito diferente do atual. O lago Pinpa, onde o fóssil foi encontrado, foi outrora um ecossistema exuberante coberto de árvores e florestas, disse o estudo. Hoje, ele é árido, seco e desolado.

Trevor Worthy, professor associado da Universidade de Flinders e co-autor do estudo, disse na declaração que é raro encontrar até mesmo um osso de uma águia fóssil.

Isto é provavelmente devido a uma série de razões, acrescentou Mather, incluindo que os ossos das aves podem ser bastante frágeis, o que os torna mais fáceis de quebrar.

“Ter a maior parte do esqueleto é bastante excitante, especialmente considerando a idade”, disse Worthy.

Os pesquisadores fizeram uma série de descobertas de fósseis na Austrália ao longo dos anos, lançando luz sobre a diversidade de espécies que vaguearam pela Terra há éons atrás.

Mais recentemente, os cientistas descobriram que uma vez houve uma espécie de “dragão voador” que sobrevoou a Austrália há 105 milhões de anos.

O pterossauro foi descrito pelos pesquisadores como uma “besta temível” que petiscava dinossauros juvenis.

Em junho, os cientistas confirmaram que a descoberta de 2007 de um esqueleto fossilizado no estado de Queensland era o maior dinossauro da Austrália. O dinossauro, apelidado de “Cooper”, tinha cerca de dois andares de altura, e era tão longo quanto uma quadra de basquete.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN