Fraldas descartáveis são recomendadas como EPI a comissários de bordo da China

Autoridade da aviação chinesa divulgou diretrizes para funcionários do setor se protegerem da Covid-19

Cabines de avião são locais fechados e têm pouca circulação de ar
Cabines de avião são locais fechados e têm pouca circulação de ar Foto: StockSnap/Pixabay

Lilit Marcus, da CNN

Ouvir notícia

Autoridades de transporte em todo o mundo têm procurado maneiras de manter passageiros e tripulação de aviões em segurança durante a pandemia.

Em 25 de novembro, a Administração de Aviação Civil da China (AACC), que supervisiona o setor da avião chinês, divulgou novas orientações.

O documento, intitulado Diretrizes Técnicas para Prevenção e Controle de Epidemias em Companhias Aéreas, Sexta Edição, contém indicações sobre as melhores práticas de higiene para aeronaves e aeroportos.

Leia e assista também:

Covid: Após coma, homem levou meses até achar 116 pessoas que salvaram sua vida

Ministério da Saúde confirma primeiro caso de reinfecção por Covid-19

Uma das diretrizes, no entanto, levantou sobrancelhas. O documento sugere que funcionários como comissários de bordo usem fraldas descartáveis para que não precisem usar o banheiro durante os voos.

A seção das diretrizes sobre equipamentos de proteção individual (EPIs) dá conselhos às tripulações de cabine sobre voos que tenham como origem ou destino países de alto risco de infecção. O documento recomenda o uso de “máscaras médicas, luvas médicas descartáveis de dupla camada, óculos de proteção, toucas descartáveis, roupas de proteção descartáveis e protetores de calçados descartáveis”.

A próxima frase diz: “Recomenda-se que os tripulantes de cabine usem fraldas descartáveis e evitem usar os banheiros, exceto em circunstâncias especiais, para evitar riscos de infecção.”

Embora esse conselho possa parecer dramático, não é segredo que banheiros podem ser os lugares que mais acumulam germes em um avião.

Em agosto, uma mulher que viajava da Itália para a Coreia do Sul contraiu o novo coronavírus durante a viagem, e uma visita ao banheiro – o único lugar onde ela não usou a máscara N95 – foi apontada como a possível fonte de sua infecção.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original.)

Mais Recentes da CNN