Governadores americanos formam pactos para decidir quando reabrir economia

Ação é organizada por governadores das costas Leste e Oeste dos EUA e contraria falas do presidente Donald Trump.

Governador da Califórnia faz parte de pacto entre estados americanos para definir reabertura da economia no país
Governador da Califórnia faz parte de pacto entre estados americanos para definir reabertura da economia no país Foto: Justin Sullivan/Getty Images

Maeve Reston, Kristina Sgueglia e Cheri Mossburg, da CNN

Ouvir notícia

Os estados das costas Leste e Oeste dos Estados Unidos estão formando seus próprios pactos regionais para trabalharem juntos em estratégias para reabrir a economia. Os grupos surgem após os governos estaduais decidirem, isoladamente, emitir ordens de restrição social para limitar a propagação do novo coronavírus.

O primeiro grupo a ser anunciado nesta segunda-feira (13) veio da costa Leste. O governador democrata de Nova York, Andrew Cuomo, disse que seu estado, além de Nova Jersey, Connecticut, Pensilvânia, Delaware, Rhode Island e Massachusetts, planeja nomear um funcionário da economia e da saúde pública para um grupo de trabalho regional. Chefes de gabinete dos governadores de cada estado também farão parte do grupo, que começará a trabalhar imediatamente para elaborar um plano de reabertura.

Ainda na segunda-feira, os estados da Califórnia, de Washington e do Oregon, na costa Oeste, também anunciaram que estão unindo forças em um plano para iniciar a liberação das medidas de isolamento social. Os governadores dos três estados farão suas abordagens para voltar aos negócios “de maneira segura, estratégica e responsável”, conforme anunciado pelo governador democrata da Califórnia, Gavin Newsom.

Embora o presidente tenha afirmado que tem autoridade para determinar quando a economia será reaberta, governadores e prefeitos de todo o país agiram rapidamente nos últimos dias para deixar claro que controlam as alavancas do poder em seus próprios estados e cidades, com responsabilidade em manter o fechamento de empresas e escolas e reforçar o distanciamento social por meio de seus departamentos policiais.

Os anúncios dos governadores aparentavam ser um esforço para antecipar os pronunciamentos de Trump, que disse que provavelmente apresentará sua força-tarefa econômica “Abrindo o País” durante briefing nesta terça-feira (14). Os governadores de ambas as costas, porém, demonstraram que suas decisões serão guiadas por fatos, profissionais da ciência e da saúde pública, e não pela política.

O presidente prenunciou o confronto iminente com autoridades locais em um tweet na manhã desta segunda. “Com o objetivo de criar conflito e confusão, alguns meios de comunicação estão dizendo que é uma decisão dos governadores abrir os estados, não a do presidente dos Estados Unidos e do governo federal. Entenda que isso está incorreto”, afirmou Trump pelo Twitter.

Durante o anúnico da força-tarefa sobre coronavírus da Casa Branca, nesta segunda, Trump voltou a afirmar sua autoridade para substituir os governadores, dizendo: “O presidente dos Estados Unidos dá os tiros”. 

“Quando alguém é presidente dos Estados Unidos, a autoridade é total”, afirmou. “E é assim que deve ser.”

Sete estados

O grupo da Costa Leste estudará a pesquisa de dados e a experiência de outras áreas para fornecer “diretrizes e parâmetros a serem seguidos”, disse Cuomo. Ele o descreveu como um “compartilhamento” de informações, pesquisas e recursos para elaborar um plano “consistente, se não complementar”.
 
Cuomo disse que muitas pessoas que trabalham na cidade de Nova York vêm do outro lado da divisa todos os dias –moram em Connecticut e Nova Jersey, além de outras cidades do estado de Nova York–, e que, portanto, a estratégia só faz sentido se os estados atuarem de maneira coordenada.
 
“Sua força de trabalho é minha força de trabalho, minha força de trabalho é sua força de trabalho, todas essas decisões afetam a todos e a toda a região. O que esse vírus diz é que todas as suas linhas e fronteiras não fazem sentido”, disse Cuomo, referindo-se ao governador de Nova Jersey, Phil Murphy, outro democrata. Todos os estados que quiserem participar são bem-vindos, disse Cuomo, acrescentando que ele está em contato com Massachusetts.

O objetivo do grupo é criar um plano para reabrir cada estado de maneira a limitar novos surtos de coronavírus. Entre os planos estão as medidas de rastreamento de contatos, tratamento e distanciamento social. 

Cuomo observou que as autoridades de saúde de seu estado acreditam ter atingido um patamar nos casos, o que ele considerou como uma boa notícia. Ele acrescentou que era necessária uma abordagem regional para evitar um ressurgimento nos casos.

Enquanto todo mundo está ansioso para reabrir a economia, Cuomo disse que era importante fazê-lo com um “plano inteligente” passo a passo, avaliando os dados em cada momento.
 
“Devemos fazer isso de maneira inteligente e produtiva, e de maneira coordenada, organizados com os demais estados da região e com esforço, onde aprendemos um com o outro. “
 
O governador de Nova York disse que seria importante compartilhar informações, recursos e inteligência.
“Ninguém fez isso antes”, disse ele. “Nenhum outro estado fez isso antes. Portanto, é um passo adiante após a pesquisa e a consulta com especialistas. Não sou especialista em saúde pública, mas isso deve ser informado por especialistas e por dados. Você dá um passo adiante. Você vê como isso funciona. E então você mede o próximo passo.” 

Califórnia, Oregon e Washington

Na costa Oeste, um grupo separado tem como objetivo alcançar resultados semelhantes. Nesta terça, a Califórnia anunciará o que Newsom chamou de plano “de baixo para cima” para facilitar as restrições no estado e “intervenções direcionadas” para retardar a disseminação do coronavírus. 
 
Esse anúncio virá horas antes de Trump falar sobre os membros de sua força-tarefa “Abrindo nosso País”; estabelecendo um possível confronto entre a cautela que os governadores exibiram até agora e o desejo de Trump de agir rapidamente para reabrir o país.
 
No que soou como um aviso implícito a Trump, Newsom disse inúmeras vezes que a decisão dos governadores da costa Oeste será movida por fatos e ciência. “O vírus não conhece fronteiras. Você não pode construir muros ao redor e não pode negar fatos fundamentais”, afirmou. “Seremos guiados por fatos, guiados por evidências, guiados pela ciência, guiados por nossos consultores de saúde pública.”

Diante de uma dura campanha de reeleição, com os eleitores cada vez mais críticos por sua conduta ao vírus, Trump expressou sua ânsia de fazer a economia voltar a funcionar, prevendo uma recuperação rápida no momento em que mais de 17 milhões de pessoas entraram com pedido de seguro- desemprego.

Mas Trump ofereceu poucos detalhes sobre como isso funciona. Ele se recusou a reconhecer os problemas com o teste de coronavírus, que variam de estado para estado, ao proclamar que o sistema de testes dos EUA é melhor do que qualquer outro no mundo –uma declaração que não é consistente com os fatos.

No fim de semana, ele sugeriu que o ônus recai sobre os governadores, embora os problemas com a rodada inicial de testes enviados pelo governo federal aos estados tenham decorrido de uma falha no projeto. 

Muitos estados tiveram dificuldade em adquirir os reagentes necessários para realizar os testes, bem como a falta de pessoal de laboratório para processar os testes e definir cada diagnóstico. Alguns sistemas hospitalares também relataram um alto nível de falsos negativos.
 
“Governadores, aperfeiçoem seus programas e aparelhos de testes nos estados”, tuitou Trump na noite de domingo (12). “Esteja pronto, grandes coisas estão acontecendo. Sem desculpas! O governo federal está lá para ajudar. Estamos testando. Mais do que qualquer país do mundo. Além disso, prepare-se com máscaras!”
 
Newsom tem colaborado com o governador de Washington, Jay Inslee, e com o governador de Oregon, Kate Brown, durante toda a pandemia. Ele disse que os três governadores desenvolveram o processo e o protocolo de reabertura que delinearão na terça-feira porque precisavam de uma abordagem regional para diminuir o ritmo dos casos de coronavírus, continuando a praticar medidas apropriadas de distanciamento social.
 
A parceria que os três estados da Costa Oeste estão construindo será facilitada, disse Newsom, por causa de seu esforço coordenado no ano passado, quando os incêndios florestais devastaram o norte da Califórnia.
 
Ao anunciar a cooperação dos três estados dos governadores ocidentais durante sua coletiva de segunda-feira, Newsom citou um antigo provérbio: “Se você quer ir rápido, vá sozinho, mas se quiser ir longe, vá junto”. 
 
Newsom disse que as discussões com os governadores de Oregon e Washington sobre métricas para reabrir a economia começaram no início da semana passada.
 
“Iniciamos um processo de estabelecer formalmente como seria e como poderíamos iniciar o processo de liberação incremental de pedidos de quarentena, que avançava o princípio fundamental de manter as pessoas saudáveis, manter as pessoas seguras, usar a ciência para orientar nossa tomada de decisão e não pressão política “, disse Newsom. 

Newsom disse ainda que os três estados esperavam expandir seu protocolo em conjunto com outros governadores estaduais ocidentais, continuando a trabalhar com os estados da costa Leste compartilhando boas práticas, além de emprestar técnicos, médicos de emergência, ventiladores e outros equipamentos para combater a epidemia de COVID-19.

O governador da Califórnia disse que seu objetivo era continuar com “o espírito colaborativo que se estende muito além da costa Oeste dos Estados Unidos, formando perspectivas e opiniões, compartilhando as melhores práticas e, finalmente, promovendo a causa que une todos nós –e isso é reabrir nossa economia e fazê-lo de maneira segura, estratégica e responsável “. 

Outros pactos regionais também podem estar em andamento. O governador do Minnesota, Tim Walz, disse a repórteres na segunda-feira que conversou com o governador do Michigan, Gretchen Whitmer, e o governador do Wisconsin, Tony Evers, sobre trabalharem juntos para reabrir esses estados a partir de seus respectivos pedidos de isolamento social. “Mas a única maneira de isso acontecer é se tivermos testes generalizados”, disse Walz.

Mais Recentes da CNN