Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo regional retira apoio de evento LGBT na Itália

    Evento anual, que acontecerá em Roma, é um dos alvos do novo governo de direita no país e do presidente da região do Lazio; medida gerou críticas de ativistas de direitos humanos 

    Francesco Rocca entrou na briga contra a comunidade LGBT, apoiando a premiê Giorgia Meloni
    Francesco Rocca entrou na briga contra a comunidade LGBT, apoiando a premiê Giorgia Meloni Antonio Masiello/Getty Images

    Da Reuters Roma

    O governo de direita da região italiana do Lazio, nos arredores de Roma, disse nesta segunda-feira (5) que está retirando seu apoio à parada LGBT anual da capital, provocando uma reação irada de ativistas de direitos humanos e políticos da oposição.

    Os direitos LGBT e a igualdade de gênero na Itália têm sido uma questão particularmente delicada desde que a primeira-ministra de direita, Giorgia Meloni, chegou ao poder há cerca de sete meses, prometendo combater o que chamou de “lobby LGBT”.

    O presidente da região do Lazio, Francesco Rocca, apoiado pelo partido de Meloni, Irmãos da Itália, foi eleito em fevereiro, derrubando o antigo governo de centro-esquerda.

    O governo regional disse em comunicado que não pode mais apoiar o evento “Roma Pride”, que será realizado no sábado, porque os organizadores apoiaram publicamente a gravidez de aluguel, que é ilegal na Itália.

    O governo de Meloni pediu aos prefeitos que parassem de registrar os filhos de pais do mesmo sexo e sua coalizão governista apresentou um projeto de lei destinado a processar casais que viajam para o exterior para ter um bebê por meio de uma barriga de aluguel, visando principalmente casais gays.

    Mario Colamarino, o porta-voz do desfile, disse que Rocca cedeu à pressão do lobby conservador católico Pró Vida e Família, e acrescentou que o evento desafiaria sua decisão ao continuar usando o logotipo do governo regional.

    A Pro Life and Family saudou a mudança da Lazio e disse que “continuaria monitorando” o governo regional para evitar que ele se tornasse “um veículo para a ideologia de gênero e LGBT”.

    A decisão de Rocca foi recebida com um coro de protestos do Partido Democrático (PD) de centro-esquerda e de outros grupos de oposição.

    O prefeito do PD de Roma, Roberto Gualtieri, disse que a prefeitura deu seu total apoio ao evento Roma Pride, que foi “importante para a comunidade LGBT+ e todos os cidadãos que lutam contra a discriminação”.

    Nicola Zingaretti, ex-líder do PD e predecessor de Rocca como presidente da Lazio, disse que se juntaria à marcha como sempre.

    “Nunca devemos ter medo daqueles que defendem os direitos das pessoas. Devemos lutar contra aqueles que os negam”, escreveu ele no Twitter.

    (Reportagem de Federica Urso)