Grafite antissemita é encontrado em Auschwitz, diz museu

Escritos são "ataque ultrajante ao símbolo de uma das maiores tragédias da história da humanidade", disse o museu que administra o memorial às vítimas do Holocausto

Entrada do antigo campo de Auschwitz, na Polônia
Entrada do antigo campo de Auschwitz, na Polônia Wikimedia Commons

Sarah Deanda CNN

Ouvir notícia

Pichações antissemitas foram encontradas no complexo do campo de concentração de Auschwitz, disseram funcionários do museu em um comunicado divulgado na terça-feira (6), denunciando o ato como “um ataque ultrajante” ao local do memorial.

O vandalismo, parte do qual era antissemita, foi espalhado em inglês e alemão em nove barracas de madeira no local de Auschwitz-Birkenau. Ele foi descoberto nesta terça (5) e foi denunciado à polícia.

Imagens do CCTV também estão sendo analisadas, disse o museu em um comunicado compartilhado no Twitter.

“Tal incidente – uma ofensa ao Memorial Site – é, acima de tudo, um ataque ultrajante ao símbolo de uma das maiores tragédias da história da humanidade e um golpe extremamente doloroso na memória de todas as vítimas do campo nazista-alemão Auschwitz-Birkenau “, dizia o comunicado.

“Esperamos que a pessoa ou pessoas que cometeram este ato ultrajante sejam encontradas e punidas”, continua o texto, juntamente com um apelo para que testemunhas oculares compartilhem informações.

Auschwitz-Birkenau, estabelecido na Polônia ocupada pelos nazistas, era o maior campo de concentração administrado pelo regime de Hitler.

Mais de 1,1 milhão de homens, mulheres e crianças foram sistematicamente assassinados ali, muitos nas câmaras de gás do campo. Cerca de 6 milhões de judeus foram mortos no Holocausto.

O museu disse que a segurança no local de 170 hectares está “constantemente” sendo expandida, mas é financiada pelo orçamento do museu, que foi atingido pela pandemia do coronavírus.

O número de incidentes antissemitas na Alemanha tem crescido constantemente nos últimos anos, informou o jornal “Deutsche Welle” em fevereiro. Houve pelo menos 2.275 crimes antissemitas nos 12 meses até o final de janeiro de 2021, cerca de 55 dos quais foram violentos, relatou.

Em toda a Europa, os ataques antissemitas têm aumentado há anos. Cemitérios judeus da França à Polônia são regularmente profanados, e nove em cada dez judeus europeus acreditam que o antissemitismo está aumentando, de acordo com uma pesquisa da Comissão Europeia.

Mais Recentes da CNN