Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Homens ucranianos de 18 a 60 anos estão proibidos de deixar o país

    Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, assinou declaração ordenando mobilização militar geral

    Posto do Serviço de Guarda de Fronteira do Estado ucraniano danificado por bombardeios na região de Kiev
    Posto do Serviço de Guarda de Fronteira do Estado ucraniano danificado por bombardeios na região de Kiev Serviço da Guarda da Fronteira da Ucrânia/Divulgsção via REUTERS (24.fev.2022)

    Tamara QiblawiCaroll Alvardoda CNN

    Ouvir notícia

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, ordenou uma mobilização militar geral.

    Em uma declaração assinada nesta quinta-feira (24), Zelensky disse que “para garantir a defesa do Estado, mantendo a prontidão ampla de combate e movimentação das forças armadas da Ucrânia e outras formações militares”, foi ordenada uma movimentação, inclusive na capital, Kiev e todas as principais cidades da Ucrânia.

    “A mobilização deverá ser realizada no prazo de 90 dias a contar da data de entrada em vigor deste decreto”, refere o comunicado.

    A mobilização também instrui “o Serviço de Segurança da Ucrânia a tomar medidas de contrainteligência durante a mobilização geral”.

    Ele ordenou o “recrutamento de recrutas, reservistas para o serviço militar, sua entrega a unidades militares e instituições das Forças Armadas da Ucrânia” e outros serviços de segurança do Estado.

    Ao mesmo tempo, a Ucrânia baniu todos os cidadãos do sexo masculino de 18 a 60 anos de deixarem o país, de acordo com o Serviço de Guarda de Fronteiras do Estado.

    A declaração disse que após a introdução da lei marcial na Ucrânia, uma restrição temporária foi imposta.

    “Em particular, é proibido que homens de 18 a 60 anos, cidadãos ucranianos, deixem as fronteiras da Ucrânia”, disse o comunicado. “Este regulamento permanecerá em vigor durante o período do regime legal da lei marcial. Pedimos aos cidadãos que levem em consideração esta informação.”

    Um pouco mais de contexto: pelo menos 57 pessoas morreram e 169 foram feridas desde que Moscou lançou uma invasão, de acordo com o ministro da Saúde da Ucrânia, Viktor Lyashko.

    “Estamos ficando em casa. Não queremos sair”, Andrew, de 24 anos, que acabara de saber sobre a proibição de viajar para homens ucranianos. Ele não divulgou seu nome completo por questões de segurança.

    “Não posso sair agora porque a atualização (foi essa) que caras de 18 a 68… não pode sair das fronteiras da Ucrânia”, diz ele. “Ficaremos aqui até que os russos voltem para casa, porque é importante para nós ficarmos em nossas casas”, acrescentou. “Vamos ficar com o nosso governo.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN