Olimpíadas tiveram 5 vezes mais casos de hospitalizações por Covid do que relatado

25 pessoas foram hospitalizadas com Covid-19 durante os Jogos, em vez das cinco inicialmente relatadas

25 pessoas foram internadas com Covid-19 nas Olimpíadas de Tóquio-2020
25 pessoas foram internadas com Covid-19 nas Olimpíadas de Tóquio-2020 Getty Images

Sakura Murakamida Reuters

Ouvir notícia

Durante as Olimpíadas de Tóquio-2020, um total de 25 pessoas foram hospitalizadas devido à Covid-19, em vez das cinco inicialmente relatadas, segundo informaram os organizadores na noite desta terça-feira (29).

“Os cinco primeiros [casos] que relatamos foram o número de residentes no exterior que foram hospitalizados”, explicou o CEO das Olimpíadas de Tóquio-2020, Toshiro Muto, durante entrevista coletiva.

“Nós divulgamos esses números para avaliar o quanto as pessoas do exterior sobrecarregariam o sistema médico”, acrescentou.

Os 25 casos que foram agora relatados incluem residentes japoneses e visitantes estrangeiros liberados da quarentena que foram hospitalizados. “Este número dá uma visão mais abrangente da situação”, disse o porta-voz Masa Takaya sobre o novo número informado.

Nenhuma razão foi dada para que os números de hospitalização não tenham sido divulgados antes.

Após ser adiada em 2020, as Olimpíadas foram iniciados em julho enquanto a capital estava em estado de emergência para evitar a disseminação do Covid-19. Ao contrário de outros eventos, os Jogos foi realizado grande parte sem espectadores e os participantes foram solicitados a minimizar o contato uns com os outros e usar máscaras.

Enquanto era sede, a cidade de Tóquio viu o pior aumento de casos até agora. No final de agosto, o Japão registrou um recorde de 25.000 infecções diárias. Os casos dentro da “bolha” de mais de 50 mil visitantes e participantes olímpicos permaneceram baixos em comparação com os números nacionais, no entanto, com 863 casos positivos confirmados ao longo das Olimpíadas e Paralimpíadas, de acordo com a emissora NHK.

Mais Recentes da CNN