Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Inverno antecipado: nevascas atingem países europeus

    As tempestades repentinas causaram uma série de transtornos, desde acidentes a pessoas presas em veículos por causa da neve

    Carro é rebocado na região ucraniana de Odessa
    Carro é rebocado na região ucraniana de Odessa 28/11/2023 Divulgação via REUTERS

    Priscila Yazbekda CNN

    Paris

    O inverno chegou mais cedo na Europa.

    Oficialmente, o outono termina em 21 de dezembro, mas fortes ondas de neve estão atingindo diferentes países do continente e causando estragos.

    Na Ucrânia, uma mega tempestade de neve deixou dez pessoas mortas e outras dezenas de feridos em acidentes de carro por causa do gelo nas pistas, segundo o ministério do Interior. Mais de 400 vilas em 11 regiões ficaram sem energia e mais de 1.500 veículos tiveram que ser resgatados.

    A região de Odessa, no sul do país, foi a mais afetada: cinco pessoas morreram e quase 2.500 pessoas precisaram ser resgatadas depois de ficarem presas na neve.

    A queda de temperaturas na Europa é causada por uma massa de ar frio do ártico.

    Na Crimeia, a nevasca deixou mais de 93 mil pessoas sem eletricidade e o abastecimento de água foi interrompido em 245 comunidades, segundo autoridades.

    No oeste da Alemanha, moradores foram orientados a ficar em casa depois que uma onda de neve deixou estradas escorregadias. Segundo informações de governos locais, duas pessoas morreram em dois acidentes por causa dos gelos na pista, um homem de 71 anos e outro de 54 anos.

    Na região da Île-de-France, que engloba Paris, há previsão de neve para quarta-feira (29) à noite e quinta feira (30), segundo o serviço meteorológico do governo francês. Se a previsão se concretizar, será a primeira vez que vai nevar na região em novembro em 18 anos.

    A Météo-France afirma que nesta semana o país verá sua primeira onda de inverno do ano, mesmo ainda no outono e prevê neve da Normandia ao Grand Est, do norte ao nordeste do país.

    O serviço meteorológico lembra que o registro de neve em novembro não é nada excepcional em regiões montanhosas da França, mas o último registro de neve no período na Île-de-France, que é uma planície, foi em 2005.

    No Reino Unido, o serviço de meteorologia do governo britânico, Met Office, prevê temperaturas de até -5°C nos próximos dias e alertou para o “risco de morte” entre os idosos.

    A Agência de Segurança Sanitária britânica também alerta que a onda de neve pode elevar a ocupação de hospitais, fechar escolas e recomendou que empresas adotem trabalho remoto se possível.

    As previsões desta semana inclusive levaram o orgão britânico a levantar a dúvida sobre a possibilidade de um Natal branco. O Met Office lembra que só houve uma cobertura generalizada de neve no país quatro vezes desde 1960.